terça-feira, 18 de agosto de 2015

Doença faz menina ter 70% dos corpo coberto por manchas e ela dá aula contra o preconceito.

Com manchas em 70% do corpo, menina dá aula contra o preconceito


  

 
Ciera Swaringen tem 19 anos e passou a vida inteira querendo que as pessoas olhassem para ela como uma jovem normal. A tentativa foi em vão, mas não fez a menina desistir: com 70% do corpo coberto de manchas escuras, ela passou a encarar muito melhor sua doença quando se aceitou.

“Eu me lembro de um dia estar no ônibus escolar e ouvir um garoto rir e me chamar de ‘cachorro manchado’. Isso destruiu minha confiança. Mas passei a ficar bem melhor quando comecei a ter orgulho de ser diferente. Todos nós temos algo que é incomum”, conta Ciera.

A menina possui uma doença chamada nevo melanocítico congênito (NMC), doença que acumula de uma maneira totalmente anormal os melanócitos em certas regiões da pele. Muito rara, a doença afeta apenas uma pessoa a cada 500 mil.

Agora, Ciera quer inspirar pessoas que estejam na mesma condição que ela esteve um dia. Em grupos formados em redes sociais, conversa com jovens mais novos e os incentiva a se aceitarem da maneira que são. O sonho dela? Organizar uma conferência sobre sua doença para que, pessoalmente, as pessoas troquem experiências e se encaixem melhor no mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário