segunda-feira, 6 de julho de 2015

MasterCard testará selfies no lugar de senhas para realizar compra online.

MasterCard testará selfies no lugar de senhas para realizar compra online

Testes da tecnologia, que também usará digitais, começam em setembro.
Empresa tem acordo com Apple, Google, Microsoft, BlackBerry e Samsung.

 
Do G1

Garota confere biquinho em selfie no segundo dia do Lollapalooza (Foto: Flavio Moraes/G1) 
Garota confere biquinho em selfie no segundo dia do Lollapalooza 
(Foto: Flavio Moraes/G1)

A MasterCard vai testar um jeito diferente de aprovar compras online: saem as senhas numéricas, entram as... selfies. Os testes do novo programa começam em setembro, informou o líder de soluções inovadoras da empresa, Ajay Bhalla, ao site “CNN Money”.
“A nova geração, que está vidrada nas selfies, eu acho que eles acharão isso legal. Eles irão aderir a isso”, afirmou Bhalla. Quando os consumidores estiverem comprando na internet e chegarem ao ato do pagamento, tudo o que deverão fazer será posicionar o celular diante do rosto e tirar uma selfie.
O novo programa da MasterCard permitirá ainda certificar transações com as digitais. Inicialmente, apenas 500 consumidores terão acesso à tecnologia. Se der certo, a empresa vai liberá-la para o público. Para isso, fechou parcerias com Apple, BlackBerry, Google, Microsoft e Samsung. Ainda está costurando dois negócios com dois grandes bancos.
O programa funcionará somente via aplicativo da própria MasterCard. Caso o usuário seja um dos escolhidos a realizar o teste, o app perguntará se ele prefere usar a digital ou o reconhecimento facial para finalizar pagamentos online.
A partir daí, o app vai capturar imagens de um ou outro. Segundo a MasterCard, as fotos serão convertidas em código e transmitidas pela internet a elas. Já as imagens, por segurança, permanecerão nos celulares.
Segundo Bhalla, a empresa está experimentando ainda usar o tom de voz de clientes para substituir as senhas. A MasterCard atua em diversas frentes para dar fim ao uso de combinações numéricas em bancos e em compras. Uma de suas iniciativas foi investir em uma startup canadense, a Bionym, que desenvolve uma tecnologia para que os batimentos cardíacos sejam usados como senha.
Em junho, uma companhia britânica apresentou sua própria alternativa: substituir os números de 0 a 9 por 44 emojis. A Intelligent Enviromnments argumenta que a segurança seria elevada,  já que o número de combinações seria elevado para 480.

Nenhum comentário:

Postar um comentário