sexta-feira, 3 de julho de 2015

Ex-miss penitenciária é presa por roubo.

Ex-miss penitenciária e mais 22 são detidos no DF por roubo em 3 regiões

Prisões e apreensões fazem parte da Operação São Bento.
Ação ocorreu no Park Way, Núcleo Bandeirante e Candangolândia.

 
Isabella Calzolari  
Do G1

Ex-miss penitenciária presa suspeita de roubo no Núcleo Bandeirante (Foto: Polícia Civil/Divulgação) 
Ex-miss penitenciária presa suspeita de roubo no Núcleo Bandeirante 
(Foto: Polícia Civil/Divulgação)
 
A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu 19 homens e uma mulher e apreendeu três adolescentes suspeitos de cometer roubos nas regiões do Park Way, do Núcleo Bandeirante e da Candangolândia.  O grupo foi detido durante operação da 11° DP realizada entre 4 de maio e 30 de junho deste ano. Segundo o delegado-chefe da 11ª DP, Victor Dan, a suspeita detida foi Miss Penitenciária 2011 e estava em liberdade provisória.
Dan afirmou que a ex-miss, de 24 anos, aliciava pessoas para participar de roubos, levava os ladrões até o local do crime com o próprio carro, esperava a execução do crime e fugia.
“Ela levava eles e depois dava fuga. Sempre agia com outros três homens, que ainda estão foragidos. Ela fugia com o próprio veículo e chegamos até ela porque uma das vítimas anotou a placa do carro”, afirma o delegado. “Nós acreditávamos na ressocialização dela, mas ela voltou a cometer crimes e foi presa por roubo a um comércio no Núcleo Bandeirante.”
A ex-miss é investigada pela participação de ao menos três roubos no Núcleo Bandeirante e em Ceilândia. Ela tem passagens por roubo e receptação.

Ex-miss penitenciária e suspeitos de roubos presos durante operação no Distrito Federal (Foto: Isabella Calzolari/G1) 
Ex-miss penitenciária e suspeitos de roubos presos durante operação no Distrito Federal 
(Foto: Isabella Calzolari/G1)

A operação foi batizada de São Bento e teve objetivo de combater crimes contra o patrimônio, principalmente roubos qualificados nas três regiões. Durante a ação,  foram cumpridos mandados de prisão e prisões em flagrante.
“A gente começou a analisar os dados da Secretaria de Segurança que apontavam aumento de cerca de 30% de roubos nas três regiões no primeiro semestre com relação ao mesmo período do ano passado, então resolvemos intensificar as ações e realizar essa operação”, disse.
Ela levava eles e depois dava fuga. Sempre agia com outros três homens, que ainda estão foragidos. Ela fugia com o próprio veículo e chegamos até ela porque uma das vítimas anotou a placa do carro. Nós acreditávamos na ressocialização dela, mas ela voltou a cometer crimes e foi presa por roubo a um comércio no Núcleo Bandeirante"
Victor Dan,
delegado da 11ª DP
Um dos homens detidos é suspeito de cometer quatro roubos em postos de combustíveis em menos de 30 minutos. Os crimes foram no Setor de Postos e Motéis do Núcleo Bandeirante e da Candangolândia no início de junho. O suspeito foi detido na semana passada e também estava em liberdade provisória.
"Esse autor, indignado com a morte de dois comparsas, passou a realizar roubos nesses postos de gasolina. Ele primeiro roubou a moto de um frentista e depois disparou a cometer roubos em outros postos", explica.
O delegado destacou ainda que um dos suspeitos tem 11 passagens por tráfico, roubos e homicídios, e estava em liberdade provisória. “Ele tinha uma intensa ficha criminal e foi preso em flagrante em um roubo a residência no Park Way.”
Na  operação foram recuperados veículos, motos, jóias, e apreendidos armas, drogas e celulares. Os detidos tinham participação em roubos, principalmente a pedestres, em residências e em comércios. Eles não agiam em conjunto. "Eles são responsáveis por 70% dos roubos cometidos na região nesse ano", disse Dan.
“Eles não se conheciam. São roubos independentes, pontuais, e chegamos até eles por meio de denúncias da comunidade. Geralmente agiam em dupla, mas foram presos separadamente durante a operação. Muitos deles eram conhecidos pela delegacia. O resultado dessa operação é a diminuição dessa espécie de crime nas três regiões", completou.

 


Miss Penitenciária

Raíra Paixão tinha 20 anos quando foi eleita Miss Penitenciária. Ela recebeu como prêmio R$ 1 mil. Na época, a jovem afirmou que sonhava cursar enfermagem.
De acordo com a direção da Penitenciária Feminina do Gama, a vencedora do concurso estava dentro do perfil da maioria das 560 internas da época, que tinham entre 18 e 25 anos. Os crimes mais recorrente entre as detentas estão relacionados com o tráfico de drogas.
A seleção da miss penitenciária DF foi feita por 19 jurados. Entre eles, deputados distritais, um deputado federal, a miss DF Alessandra Baldini e produtores e profissionais de moda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário