segunda-feira, 29 de junho de 2015

Recife tem a maior chuva do ano; deslizamento matou pai e filho.

Em 24 horas, Recife registra maior chuva do ano, com 228 mm

Duas pessoas morreram após deslizamento na Bomba do Hemetério.
Dez árvores caíram; há ocorrências também na Região Metropolitana.

 
Do G1 
Na Rua Hélio Brandão, no bairro do Ipsep, os moradores andaram com a água na altura da cintura.  (Foto: Reprodução / TV Globo) 
Na Rua Hélio Brandão, no bairro do Ipsep, os moradores andaram com a água na altura da cintura. (Foto: Reprodução / TV Globo)

Em 24 horas, das 8h do domingo (28) às 8h desta segunda (29), choveu 228mm no Recife, volume esperado para 16 dias do mês de junho. De acordo com a Prefeitura, foi a maior chuva do ano. A central de atendimento da Defesa Civil do Recife registrou, até as 11h, 174 chamados, entre solicitações de lonas plásticas e de vistorias.
A ocorrência mais grave foi a morte de duas pessoas na Bomba do Hemetério, devido ao deslizamento de uma barreira. Os técnicos também registraram a queda de um muro na UR-1 e um deslizamento de barreira no Vasco da Gama, ocorrências que não deixaram vítimas. Cerca de 250 agentes da Defesa Civil estão em campo.




A Empresa Municipal de Limpeza Urbana (Emlurb) recebeu dez notificações de queda de árvores, nos bairros das Graças, Espinheiro, Ibura, Ipsep, Santo Amaro (três casos), Setúbal, Monteiro e Boa Vista.
A Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) informou que nove semáforos apresentaram falhas nesta manhã. Seis já voltaram a operar normalmente e três estão em atendimento técnico.

Barreira deslizou em cima da casa das vítimas, localizada na Rua Antônio Porfiro Santana, na Bomba do Hemetério (Foto: Ana Regina / TV Globo) 
Barreira deslizou em cima da casa das vítimas, localizada na Rua Antônio Porfiro Santana, na Bomba do Hemetério (Foto: Ana Regina / TV Globo)

Pai e filho soterrados

Na Bomba do Hemetério, Zona Norte da capital, pai e filho morreram após o delizamento de uma barreira sobre a casa deles, na Rua Antônio Porfírio Santana. Jorge Pacheco da Silva, 53 anos, e Flávio Lopes Barbosa, 27 anos, morreram na hora do acidente, que aconteceu por volta das 3h. Uma mulher de 53 anos, esposa de Jorge, ficou ferida. Ela foi atendida pelos bombeiros e passa bem.
Ao todo, quatro casas foram interditadas, devido ao risco de novo deslizamento. Elas são conjugadas ao imóvel atingido pela barreira. Os moradores se abrigaram em casa de parentes. O secretário-executivo de Defesa Civil do Recife, Cassio Sinomar, afirmou que a chuva forte da madrugada e o acúmulo de lixo contribuíram para o deslizamento.
A Prefeitura informa ainda que "a barreira que caiu, tecnicamente, não comporta utilização de lona plástica por causa da inclinação e extensão da encosta. Dessa forma, é uma área de constante monitoramento da Defesa Civil". Há dez dias, a Empresa Municipal de Limpeza Urbana (Emlurb) fez uma operação de limpeza na área, durante uma semana. Ao fim do trabalho, foram recolhidas 50,4 toneladas de lixo de encostas.

Moradores temem que o restante do residencial também corra risco de desabamento (Foto: Paulo Alexandre / Acervo pessoal) 
Moradores temem que o restante do residencial também corra risco de desabamento 
(Foto: Paulo Alexandre / Acervo pessoal)


Cratera engole dois carros

O piso do estacionamento de um residencial do bairro de Jardim São Paulo, na Zona Oeste do Recife, cedeu nesta madrugada. O acidente formou uma cratera com mais de seis metros de largura, que engoliu parcialmente dois veículos. Agora, os moradores temem que o resto do edifício também corra risco de desabamento. A Defesa Civil e a construtora responsável pelos prédios vão avaliar a situação. Por nota, a Moura Dubeux adiantou que o buraco foi provocado pela chuva.

Imagens aéreas da cidade de Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife, nesta segunda-feira (29). (Foto: Reprodução / TV Globo) 
Imagens aéreas da cidade de Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife, nesta segunda-feira (29). (Foto: Reprodução / TV Globo)

Região Metropolitana

Em Olinda, no Grande Recife, o índice pluviométrico registrado na cidade, das 17h de domingo às 7h desta segunda, foi de 110 mm. De acordo com a prefeitura, a Defesa Civil registrou 15 solicitações de colocação e reposição de lona, e 7 deslizamentos de barreira -- nos bairros de Águas Compridas (quatro ocorrências), Caixa d'Água (duas) e Alto da Bondade. Nos bairros de Passarinho e Bultrins, dois muros caíram; duas quedas de árvores foram registradas na PE-15 e em Águas Compridas. Nenhuma ocorrência teve vítimas.
No Cabo de Santo Agostinho, a Coordenadoria de Defesa Civil registrou 40 milímetros de chuvas, entre a manhã de domingo e a de segunda. O distrito de Ponte dos Carvalhos e o bairro da Charneca concentraram a maior quantidade de chuva, mas nenhuma ocorrência chegou a ser registrada.
Em Camaragibe, foram registrados três deslizamentos no Bairro dos Estados, nas ruas Jardim Teresópolis, Henrique Dias e Paranaguá. Também houve ocorrências na Rua Arlindo Lopes e no Córrego Santa Fé, em Tabatinga; e na Rua Treze de Maio, no Timbi. Segundo a Defesa Civil da cidade, todos os acidentes foram de pequeno porte e não deixaram feridos. O maior dano foi registrado na Rua Paranaguá, onde um muro foi atingido pela barreira
Em nota, a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) informou que "os alunos impossibilitados de chegar ao campus Recife devido às fortes chuvas não levarão falta nem serão prejudicados por ausência em qualquer atividade acadêmica". A Reitoria solicita aos docentes que não realizem exercícios avaliativos nesta segunda.


Serviço

Defesa Civil do Recife -- 0800.081.3400
Defesa Civil de ‪Olinda -- 0800.281.2112
Defesa Civil do Cabo -- 0800.281.8531

Nenhum comentário:

Postar um comentário