segunda-feira, 1 de junho de 2015

Jovem atingida por óleo quente reconstrói rosto.

Vítima de óleo passa por reconstrução facial e quer alta: 'Saudades dos filhos'

Aline Cristiane do Reis fez operação no ombro e na testa.
Médicos ainda não estipularam data para vítima receber alta.

 
Rodrigo Martins  
Do G1

Aline com parte da testa e ombro cobertos após cirurgia (Foto: Arquivo Pessoal/ Vanessa Cristina Reis)Aline com parte da testa e ombro cobertos após
cirurgia (Foto: Vanessa Reis/Arquivo Pessoal)

A jovem Aline Cristiane dos Reis, de 24 anos, atingida no rosto por óleo quente arremessado durante uma briga com uma amiga, passou por uma complexa cirurgia para reconstruir o rosto. O ataque ocorreu no dia 8 de março, em Guarujá, no litoral de São Paulo, e a agressora foi presa. De acordo com os médicos, a cirurgia foi bem sucedida e Aline não ficará com muitas sequelas causadas pelas queimaduras.
A irmã de Aline, Vanessa Cristina Reis, conta que a vítima está se recuperando bem após a operação. “Ela fez uma cirurgia no ombro, onde havia sido atingida pelo óleo, e colocou enxerto na testa, para repor a pele no local. No olho, os médicos entenderam que não havia necessidade de cirurgia”, explica.

Apesar de a cirurgia ter sido bem sucedida, ainda não há uma previsão para que Aline receba alta do Hospital Santa Casa de Misericórdia de Santos, no litoral paulista, onde está internada. O estado de saúde da paciente, segundo o hospital, permanece estável.
Ansiosa, Aline espera que não seja necessária uma nova operação - os médicos aguardam pela cicatrização das áreas onde foram feitas as intervenções -, o que poderia acelerar o seu processo de liberação do hospital. “É horrível você ficar em cima de uma cama o dia inteiro. Não vejo a hora de estar com a minha família. Estou com saudades dos meus filhos. Não vejo a hora de o médico falar que vou ter alta e ir para casa. Não aguento mais. Estou até tomando calmante para dormir”, afirma.

Jovem posou para fotos sensuais enquanto era
intimada pela polícia (Foto: Reprodução/Facebook)
Jovem posou para fotos sensuais enquanto era intimada pela polícia (Foto: Reprodução/Facebook)Advogado tenta libertar suspeita

A jovem Vastiane Karolayne Alves, de 23 anos, suspeita de jogar óleo quente no rosto da amiga Aline, teve o pedido de revogação de sua prisão temporária negado pela Justiça, em primeira instância. Seu advogado de defesa, Airton Sinto, entrou com um pedido de habeas corpus para relaxamento da detenção na última sexta-feira (29).
A agressão aconteceu no dia 8 de maio. De acordo com a vítima, Vastiane jogou óleo quente em seu rosto por conta de um celular, que teria sido jogado na água dias antes. Além de Aline, duas crianças, a filha e um sobrinho da suspeita, também foram atingidas pelo líquido, mas passam bem. A vítima sofreu queimaduras de 2º grau.

O representante da suspeita confia que a Justiça pode ter um parecer favorável ao seu novo pedido. “Vou entrar com um pedido de habeas corpus para que ela responda em liberdade. Na legislação, o crime pelo qual ela é acusada e é responsável, que é de lesão corporal gravíssima, permite que, mesmo ela sendo condenada a quatro anos, a pena seja revertida em serviços prestados à comunidade, com comparecimento regular ao Fórum. Além disso, ela não ostenta antecedentes criminais. Sendo assim, se ela não será presa mesmo condenada, porque deve responder ao processo presa?”, argumenta.

Aline foi atingida no rosto por óleo quente e teve
queimaduras de 2º grau (Foto: Arquivo Pessoal)
Aline foi atingida no rosto por óleo quente e teve queimaduras de 2º grau (Foto: Arquivo Pessoal)Prisão

A suspeita teve sua prisão temporária decretada pela Justiça e foi detida no dia 19 de maio, depois de se apresentar na Delegacia da Mulher de Guarujá, acompanhada de seu advogado. Ela prestou depoimento explicando a agressão contra Aline e foi detida em seguida. Dias antes, a jovem chegou a posar para fotos sensuais enquanto era intimada pelas autoridades.
De acordo com Airton, Vastiane alega que jogou o óleo quente em defesa própria e por medo, após ser ameaçada de morte por Aline. "Ela afirma que praticou esse delito em legítima defesa, após promessas e ameaças de morte por parte de Aline", revela.
A suspeita foi levada da Delegacia da Mulher de Guarujá até o 5° Distrito Policial (DP) de Santos, antes de ser levada ao 3° Distrito Policial de São Vicente, onde permanece presa.
Segundo a irmã de Aline, a jovem soube da prisão da suspeita. “Ela acompanhou pela mídia, mas ainda está preocupada, porque a Vastiane pode sair em breve da prisão. Porém, ela espera que a Justiça seja feita nesse caso”, comenta.

Aline afirma que perdoaria Vastiane, mas pede
justiça (Foto: Rodrigo Martins/G1)
Aline afirma que perdoaria Vastiane, mas pede justiça (Foto: Rodrigo Martins/G1)Vídeo

Vastiane gravou e postou um vídeo em sua página pessoal no Facebook, a pedido de seu advogado, pedindo desculpas pelo ocorrido. Ela afirma que não tinha a intenção de machucar a amiga. "Eu jamais faria algo para machucá-la, como aconteceu, ou machucar as crianças. Eu queria dizer que estou muito arrependida com tudo isso e pedir desculpas mais uma vez", diz.
A jovem também tentou se retratar com a polícia, por ter posado para fotos sensuais enquanto recebia uma intimação para prestar esclarecimentos sobre o ocorrido. “Queria dizer que aquela foto minha foi uma infantilidade, que eu respeito a Polícia Civil”, conclui.


Versão da vítima

Segundo Aline, que foi ouvida pelo G1, ela estava passando pela rua onde Vastiane mora, no bairro Perequê, em Guarujá, quando foi agredida. ”Eu estava com a Vitória, minha amiga. Quando a Vastiane me viu, logo veio falar para eu pagar o celular dela, que estava com defeito. Eu falei que não, porque o aparelho era roubado. Mas ela continuou insistindo. De repente, virou do nada, veio pelas minhas costas e jogou aquele óleo quente”, lembra.
Aline foi ouvida no hospital pela Polícia Civil. A irmã de Vastiane esteve na Delegacia da Mulher de Guarujá e também prestou depoimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário