quinta-feira, 18 de junho de 2015

Divinópolis, MG, registra mais de 430 casos de dengue.

Divinópolis registra mais de 430 casos de dengue, aponta Semusa

Balanço foi divulgado na tarde desta quarta-feira (17) pela Vigilância.
Centro, Icaraí e Niterói são os bairros com maiores índices da doença.

 
Do G1

Cerca de 3,1 mil kg de materiais foram removidos no Bairro Icaraí (Foto: Semusa/PMD/Divulgação)Cerca dee tonelados de materiais foram removidos no Bairro Icaraí (Foto: Semusa/PMD/Divulgação)

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) de Divinópolis divulgou, nesta quarta-feira (17), um novo boletim da Vigilância em Saúde sobre a situação da dengue no município. Os dados revelam 432 casos confirmados da doença. Já o número de casos suspeitos e notificados, totaliza 1.460.
Os bairros que apresentam maior incidência de notificações continuam sendo Centro, Icaraí e Niterói. Porém, em outros bairros da cidade o registro de notificações avança. É o caso dos Bairros Porto Velho, com 44 notificações, Interlagos com 38 e Afonso Pena, com 45 casos notificados.
Apesar dos números, de acordo com a Diretoria de Vigilância em Saúde, se comparado com o mesmo período do ano passado, a redução é de 67,2%.
 

Morte

Na última semana, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) confirmou a primeira morte por dengue no município em 2015. A vítima foi uma mulher  de 41 anos que morava no Bairro São Roque e estava internada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto. A morte foi no dia 4 de maio.
 

Ações de combate

No sentido de alertar a população do bairro Icaraí, onde já foram registrados casos de dengue, a Diretoria de Vigilância em Saúde, juntamente com a Escola Estadual Francisco de Paula, realizou uma caminhada como trabalho de orientação em todo bairro na semana passada, que contou com a participação de cerca de 400 pessoas.
Foram distribuídos informativos em 1,2 mil imóveis levando mais informação à população deste local sobre os riscos da dengue. A ação contou com a participação dos agentes comunitários de saúde da região.
Também no Icaraí foi realizado um Mutirão de Limpeza. Foram retirados mais de três toneladas de materiais diversos que poderiam servir para o desenvolvimento de mosquitos transmissores da dengue, chikungunya e febre Zica, além de outros vetores como roedores, escorpiões e baratas que podem causar outros agravos.
“O trabalho vem sendo feito e os números têm sido melhores do que o verificado no último ano. Mesmo assim a atenção tem que ser redobrada e todos são agentes importantes no combate a estas doenças”, pontua diretora da vigilância em saúde, Celina Pires.

Nenhum comentário:

Postar um comentário