sábado, 13 de junho de 2015

Contra o preconceito, pessoas com deficiências físicas organizam orgia.

Contra o preconceito, pessoas com deficiências físicas organizam orgia

Não é fácil não estar nos padrões de beleza do mundo. Imagina, então, ter uma deficiência física que dificulte sua movimentação, locomoção ou, aos olhos de pessoas que buscam padrões inalcançáveis de beleza, é um problema gravíssimo? Você ainda tem desejo sexual, se apaixona e se interessa por pessoas, tenham elas deficiências ou não. Deveria ser assim com todo mundo, mas não é.
Depois de uma vida lendo informações absurdas sobre a sexualidade de pessoas com deficiência, os canadenses Andrew Morrison-Gurza e Stella Parikarova resolveram organizar a festa “Deliciously Disabled”, uma orgia em Toronto, no Canadá. Porque a verdade é uma só: pessoas com deficiências físicas transam – tanto ou mais do que você.
A ideia é que pessoas com deficiências ou não possam se encontrar, conhecer e, quem sabe, fazer sexo. “Para escolher o lugar, os critérios avaliados foram acessibilidade e permissão para nudez e sexo", disse Fatima Mechtab, do Oasis AquaLounge, um clube de sexo que faz parte da organização.
A qualificação regional para os jogos paralímpicos acontece na cidade no dia escolhido para a festa, o que vai ajudar aumentar o público e trazer pessoas bastante interessantes para a festa.
Você pode acompanhar a ideia nas redes sociais com as hashtags #deliciouslydisabled e #deliciouslydisabledally. “Criamos uma linguagem em torno da deficiência. O que você faria se visse alguém realmente sexy e deficiente em uma boate? Como iria descrevê-la?”, questiona Morrison-Gurza. A vontade de todos eles é que nada impeça que duas pessoas interessantes se encontrem, principalmente as barreiras físicas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário