terça-feira, 9 de junho de 2015

Após 'crucificação', deputado apresenta projeto para tornar 'cristofobia' em crime hediondo.

Após 'crucificação', deputado apresenta projeto para tornar 'cristofobia' em crime hediondo



 
Após a encenação de crucificação feita pela transexual Viviany Beleboni na 19ª Parada do Orgulho LGBT, o líder do PSD na Câmara, deputado Rogério Rosso (DF), apresentou projeto de lei que transforma em crime hediondo a prática de ultraje a culto. Na justificativa do texto, ele chama as manifestações do tipo de “Cristofobia”.

Atualmente esse tipo de ultraje prevê um mês a um ano de detenção, além de multa. Evangélico, Rosso quer que esse tipo de prática passe a render entre quatro e oito anos de prisão, com manutenção da multa. O fato do crime ser hediondo faz com que não haja liberação nem mediante ao pagamento de fiança.

“A intenção do projeto de lei é proteger a crença e objetos de culto religiosos dos cidadãos brasileiros, pois o que vem ocorrendo nos últimos anos em manifestações, principalmente LGBTs, é o que podemos chamar de ‘Cristofobia’, com prática de atos obscenos e degradantes que externam preconceito contra os católicos e evangélico”, afirma Rosso no projeto de lei.

Apesar da apresentação do projeto de lei ter ocorrido na última segunda-feira (8), não há previsão de quando ele começará a tramitar na Câmara dos Deputados. Se aprovado pelos deputados, ele ainda passará pelo Senado e depois precisará da sanção da presidente Dilma Rousseff.

Nenhum comentário:

Postar um comentário