sexta-feira, 15 de maio de 2015

Universitária envolvida em triângulo amoroso está morta, diz polícia.

Universitária envolvida em triângulo amoroso está morta, diz polícia no AM

Vítima sumiu em 2014, após se envolver com casal de amigos.
Para a polícia, a amiga e o marido da vítima são os principais suspeitos.

 
Suelen Gonçalves e Sérgio Rodrigues 
Do G1 

Jovem desapareceu no dia 15 de setembro, segundo a família (Foto: Arquivo Pessoal) 
Taitiane do Nascimento desapareceu no dia 15 de setembro de 2014, segundo a família 
(Foto: Arquivo Pessoal)

A polícia confirmou nesta quinta-feira (14) a morte da estudante de medicina veterinária Taitiane do Nascimento. Ela estava desaparecida desde setembro do ano passado e teria sido morta por se envolver em um triângulo amoroso. 
A delegada disse que uma ossada encontrada no último dia 16 de abril no bairro Tarumã, em Manaus, é de Taitiane. Peritos da Polícia Civil teriam identificado uma perfuração de tiro na cabeça da universitária.
"Ou seja, caracteriza homicídio. Então, agora, a gente vai transferir o caso para a Delegacia [de Homicídios] para continuar a investigação no sentido de identificar o autor ou os autores do homicídio", disse a delegada Catarina Saldanha.
Morte por ciúmes

Casada, Taitiane, se envolveu com uma colega de classe – que também era comprometida e que convenceu o marido a formar um triâgulo amoroso com as duas.
"Só que a colega começou a perder o marido, porque ele começou a se apaixonar pela Taitiane. Então, ela criou uma rivalidade com a Taitiane", informou uma investigadora da Polícia Civil, nesta quinta.
Ainda de acordo com a polícia, a colega teria procurado o marido de Taitiane, Domingos Roberto, e revelado o caso. Com ciúmes, os dois teriam então planejado a morte da universitária e são os principais suspeitos do crime.

Delegada Catarina Saldanha esteve a frente das investigações sobre mortes na Arena da Amazônia  (Foto: Jamile Alves/G1 AM)Delegada Catarina Saldanha
(Foto: Jamile Alves/G1 AM)

Segundo a delegada, antes da confirmação da morte da universitária, Domingos Roberto dava sinais de que teria participação no assassinato da esposa.
"Quando se referia a Taitiane, o Domingos Roberto sempre falava no passado. Antes de encontrarem as ossadas dela, ele já se dizia viúvo", afirmou a delegada.
O G1 não conseguiu entrar em contato com a colega de Taitiane e Domingos Roberto.


Entenda o caso

Segundo a família de Taitiane, ela desapareceu no dia 15 de setembro do ano passado. O marido foi o último a vê-la com vida, no município de Manacapuru, onde o casal tinha um restaurante.
Segundo a família de Taitiane, Domingos Roberto disse que a universitária voltou dirigindo para Manaus. O carro dela foi deixado estacionado em frente ao apartamento em que morava, no bairro Aleixo, Zona Centro-Sul da capital. As chaves foram encontradas no imóvel, que estava trancado e sem sinal de arrombamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário