domingo, 17 de maio de 2015

Fotógrafo brasileiro é eleito o melhor do ano em prêmio ibero-americano.

Fotógrafo brasileiro é eleito o melhor do ano em prêmio ibero-americano

Mauricio Lima é o vencedor do POY Latam, que avalia trabalho de 2 anos.
Brasileiro cobriu protestos no Brasil e situações em Ucrânia e Afeganistão.

 
Do G1

Black Blocs destróem uma agência bancária durante protesto no 7 de Setembro em 2013 (Foto: Mauricio Lima/The New York Times/POY Latam 2015) 
Black Blocs destróem uma agência bancária durante protesto no 7 de Setembro em 2013 
(Foto: Mauricio Lima/The New York Times/POY Latam 2015)


O concurso fotográfico POY Latam, um dos maiores e mais importantes da região ibero-americana, elegeu esta semana o brasileiro Mauricio Lima como fotógrafo do ano. A eleição é baseada no trabalho desenvolvido nos últimos dois anos pelos fotógrafos inscritos.
O prêmio recebeu e analisou mais de 31.100 fotos e 168 projetos multimídia inscritos por 1.300 fotógrafos de diversos países da América Latina e da Península Ibérica.
Trabalhando para o jornal "The New York Times", Lima cobriu diversos assuntos principalmente no Brasil, na Ucrânia e no Afeganistão. A seleção de imagens na página do concurso destaca seu trabalho nos protestos de 2013 em São Paulo e no Rio, o contraponto da vida na Amazônia durante a Copa do Mundo, a vida e os costumes no Afeganistão e a guerra separatista na Ucrânia.
O brasileiro também ficou em 1º lugar na categoria Notícias, com a série que mostra a situação de conflito no leste da Ucrânia. Uma das imagens mais impactantes dessa cobertura é a cena de uma mãe amparada pelo filho em frente ao corpo de sua filha morta por um bombardeio (veja mais abaixo).


O prêmio

Realizado a cada dois anos, o POY Latam (sigla para Pictures Of the Year Latin America) tem sede itinerante e foi realizado no México ao longo desta semana. Em 2013, a sede do concurso foi Fortaleza. As discussões dos jurados até a escolha dos premiados é transmitida ao vivo pela internet.
Entre os outros fotógrafos vencedores em diferentes categorias estão Mara Sánchez-Renero (Memória e Identidade), Marcela Magno (Meio Ambiente),  Victor Pérez (Vida Cotidiana individual), Myriam Meloni (Vida Cotidiana série), Miguel Mejía Castro (Notícias individual), Fred Ramos (Retrato individual), Rodrigo Illescas (Retrato série), Antonio Aragón Renuncio (Esportes individual), Pablo Barrera (Esportes série), Sebastián Castañeda (Festas, Tradições e Religião), Karla Gachet (O Mundo da Comida), Christian Rodriguez (A Mulher na Sociedade), James A. Rodríguez (Conte-nos uma História com Seu Celular) e Oscar B. Castillo (Propaganda). É possível ver imagens dos fotógrafos vencedores no site do concurso.

Afegãos promovem tradicional rinha de cães em Cabul. O esporte, que havia sido banido sob o governo do Talibã, voltou a ser permitido no país (Foto: Mauricio Lima/The New York Times/POY Latam 2015) 
Afegãos promovem tradicional rinha de cães em Cabul. O esporte, que havia sido banido sob o governo do Talibã, voltou a ser permitido no país 
(Foto: Mauricio Lima/The New York Times/POY Latam 2015)
 
Amazonenses separam carne de pirarucus recém-pescados em Maraã, no oeste do estado (Foto: Mauricio Lima/The New York Times/POY Latam 2015) 
Amazonenses separam carne de pirarucus recém-pescados em Maraã, no oeste do estado 
(Foto: Mauricio Lima/The New York Times/POY Latam 2015)
 
imagem forte (Foto: 1)
Mulher é amparada pelo filho, um rebelde pró-Rússia, em frente ao corpo da filha morta em uma manhã de bombardeio na guerra separatista na região de Donetsk, na Ucrânia. Foto de agosto de 2014 (Foto: Mauricio Lima/The New York Times/POY Latam 2015) 
Mulher é amparada pelo filho, um rebelde pró-Rússia, em frente ao corpo da filha morta em uma manhã de bombardeio na guerra separatista na região de Donetsk, na Ucrânia. Foto de agosto de 2014 (Foto: Mauricio Lima/The New York Times/POY Latam 2015)

Nenhum comentário:

Postar um comentário