sexta-feira, 29 de maio de 2015

Estado Islâmico faz refém cavar própria cova.

Estado Islâmico divulga vídeo em que refém na Síria cava a própria cova

Depois de cavar terreno, refém aparece decapitado.
Homem diz que exercia trabalho de espião.

 
Do G1

Refém aparece cavando a própria cova em novo vídeo do grupo Estado Islâmico (Foto: Reprodução/ Twitter/ الرقة تذبح بصمت) 
Refém aparece cavando a própria cova em novo vídeo do grupo Estado Islâmico 
(Foto: Reprodução/ Twitter/ الرقة تذبح بصمت)
 
O grupo Estado Islâmico divulgou um novo vídeo em que um refém do grupo na Síria aparece cavando a própria cova antes de ser decapitado por um combatente jihadista, segundo um grupo que monitora a ação do Estado Islâmico no Iraque e na Síria.

As imagens - divulgadas pelo grupo "Raqqa está sendo silenciosamente massacrada" -  mostram um prisioneiro com uniforme laranja usando pá e picareta para cavar o terreno de um ambiente desértico que, segundo os jihadistas, está nos arredores da capital Damasco.
No vídeo refém se dirige para câmera diz que exercia trabalho de espião.

Em vídeo, refém aparece ajoelhado na frente de um combatente do grupo Estado Islâmico (Foto: Reprodução/ Twitter/ الرقة تذبح بصمت) 
Em vídeo, refém aparece ajoelhado na frente de um combatente do grupo Estado Islâmico (Foto: Reprodução/ Twitter/ الرقة تذبح بصمت)


Um carro com a bandeira do Estado Islâmico se aproxima do refém e, então, o vídeo corta para uma cena em que o prisioneiro está ajoelhado na frente de um combatente jihadista. Depois, seu corpo decapitado aparece jogado na cova, com a cabeça em cima de seu peito.

Recentemente o EI ampliou sua área de influência na Síria. Tomou controle de postos da fronteira com o Iraque, onde também domina importantes áreas, e da cidade histórica de Palmira, a 215 km de Damasco.

A localidade abriga instalações militares modernas e está numa estrada desértica que liga a capital, Damasco, às províncias do leste sírio, a maioria sob comando dos rebeldes.

Nesta quarta, o grupo matou 20 homens no antigo anfiteatro da cidade, que faz parte das ruínas de 2.000 anos da cidade que são um patrimônio mundial da Unesco.
No Iraque o grupo também está expandindo seu território. Os jihadistas muçulmanos sunitas do grupo agora controlam grande parte da província de Anbar, da qual sua última conquista Ramadi é capital, e podem ameaçar as aproximações do Ocidente sobre Bagdá, que fica a 100 km de Ramadi, ou até mesmo avançar pelo sul, rumo ao coração do reduto xiita do Iraque.

O grupo já divulgou diversos vídeos em que seus reféns são decapitados.

 
Refém do Estado Islâmico na Síria aparece decapitado em vídeo divulgado pelo grupo (Foto: Reprodução/ Twitter/ الرقة تذبح بصمت) 
Refém do Estado Islâmico na Síria aparece decapitado em vídeo divulgado pelo grupo 
(Foto: Reprodução/ Twitter/ الرقة تذبح بصمت)

Nenhum comentário:

Postar um comentário