terça-feira, 5 de maio de 2015

Corpo de piloto de ultraleve continua na Serra da Canastra em MG.

Corpo de piloto de ultraleve continua na Serra da Canastra em MG

FAB ainda não teve acesso ao local da queda devido ao mau tempo.
Piloto saiu de São Paulo no sábado (2) quando perdeu contato com família.

 
Anna Lúcia Silva  
Do G1 

Destrços do avião continuam no local da queda na Serra da Canastra (Foto: Pousa Limeira/Divulgação) 
Destroços do avião continuam no local da queda, na Serra da Canastra 
(Foto: Amarildo Nikimba/Divulgação)
 
O corpo do piloto que morreu após a queda de um ultraleve permanece na Serra da Canastra, por causa das dificuldades de acesso da Força Aérea Brasileira (FAB) ao local. A vítima perdeu contato com a família no sábado (2), quando saiu de Pirassununga (SP) com destino à Pousada da Limeira, em Vargem Bonita, município próximo de São Roque de Minas, no Centro-Oeste do estado.
Ainda conforme a Força Aérea, o helicóptero que fará o resgate do corpo ainda está em Pirassununga e não decolou devido ao mau tempo na região. A assessoria da FAB disse que após a decolagem o tempo de voo até a Serra da Canastra será de 1h10. Contudo, só será possível chegar ao destino se o tempo permitir e se manter estável.
A assessoria da Força Aérea também informou que o homem que não teve a idade confirmada e nem o nome, mas que ele pilotava uma aeronave experimental, de matrícula PU-BIK. Em casos de aeronaves experimentais a FAB não investiga quedas e todo trabalho fica ao cargo da Polícia Civil, pois não segue padrões específicos de segurança aérea.
Acesso

Como o local onde o acidente ocorreu é um trecho de mata fechada, o acesso por terra é difícil e não é possível descer de aeronave.

Peritos da Polícia Civil cidade de Passos, no Sul do estado, deveriam ser levados  na manhã desta terça-feira (5), de carona no helicóptero da FAB. Entretanto, segundo o delegado Fernando Henrique Turini Berdugo, isso não será ais possível.
"Em conversa com o comandante, ele nos disse que não seria possível que os peritos descessem no local. Por isso, a ida dos peritos não ocorrerá. A própria FAB descerá com pessoas especializadas para remover o corpo e encaminhá-lo para a polícia que o levará para o Instituto Médico Legal de Passos", contou o delegado.

Amigo da família publicou texto pedindo ajuda para
encontrar piloto (Foto: Facebook/Reprodução)
Amigo da família publicou texto pedindo ajuda para encontrar piloto (Foto: Facebook/Divulgação)Acidente

Durante todo o sábado, parentes do piloto tentaram contato com ele por celular, em vão. Somente por volta das 14h30 de domingo (3) é que o serviço de salvamento da FAB foi acionado para iniciar as buscas pelos destroços.
Um avião e um helicóptero foram usados nas buscas. Os destroços foram achados  às 8h50 desta segunda-feira (4) pela equipe da FAB, que confirmou a morte do piloto, único ocupante do ultraleve.
O piloto saiu de São Paulo com destino a Pousada Limeira, que pertence a um amigo da vítima, Waine de Castro.
Segundo informações de Waine, ele era experiente e os voos para a Serra da Canastra eram constantes. "Além de ter uma casa no distrito de São Roque de Minas, ele gostava muito de ficar na minha pousada, já estava combinado de recebê-lo no fim de semana", contou.
Waine também é piloto há 27 anos e acredita na hipótese de queda da aeronave. "O ultraleve dele era mais simples e não tinha horizonte artificial, o que favorece voar dentro da camada de nuvens e evita desorientação espacial. Não havia também GPS, que detecta a altitude do terreno. Ele pode ter entrado numa nuvem e colidido com a Serra da Babibilônia, que fica dentro do Parque Nacional da Serra da Canastra", explicou.

Aeronave que teria caído na Serra da Canastra (Foto: Ricardo Trutuoso/Aviação Paulista/Reprodução) 
Foto da aeronave que teria caído na Serra da Canastra 
(Foto: Ricardo Trutuoso/Aviação Paulista/Reprodução)

Nenhum comentário:

Postar um comentário