quarta-feira, 13 de maio de 2015

'Achei que era um cisto', conta mulher que pariu filha na rua.

'Achei que era um cisto', conta mulher que pariu filha na rua, no Recife

Maria José de Araújo diz que não menstruava por causa de remédio.
Vitória nasceu com 2,195 kg e 45 centímetros e passa bem.

Katherine Coutinho  
Do G1

Maria José e a filha Vitória passam bem (Foto: Katherine Coutinho/G1) 
Maria José e a filha Vitória passam bem (Foto: Katherine Coutinho/G1)

A dona de casa Maria José de Araújo Silva, de 45 anos, acordou na madrugada desta quarta-feira (13) com dores na barriga. Enquanto a família corria para conseguir um carro e levá-la a uma emergência, acabou dando à luz no meio da Avenida Correia de Brito, no bairro de Sítio Novo, em Olinda. "Achei que estava com um cisto, quando vi, ela nasceu", conta Maria José.

Os médicos acreditam que Vitória nasceu de 37 semanas, aproximadamente. A menina tem 2,195 kg e 45 centímetros. Maria José acordou por volta das 3h com fortes dores na barriga e chamou a filha, Marilene, de 18 anos, para acudir. "Ela sentia muita dor e pedia para ir para a policlínica. Ninguém imaginava que ela podia estar grávida", explica Marilene.

Incomodada pela dor, Maria José saiu de casa em direção aonde outra filha, Maísa Silva, de 26 anos, morava. Enquanto os parentes estavam tentando conseguir um carro para poder levá-la para o hospital, Maísa e a mãe perceberam que se tratava do trabalho de parto e a menina estava saindo. "Eu fiquei amparando a cabecinha do bebê. Acho que o cheiro de sangue atraiu os cachorros, eles começaram a vir para cima e eu tive que afastar. Nisso, minha irmã caiu na rua", recorda Maísa.

 Em um carro emprestado, a família toda correu com o bebê recém-nascido e a mãe para o Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam), conhecido como Maternidade da Encruzilhada. "Escolhi o nome Vitória por toda essa confusão, por ela ter caído no chão na hora do parto. Tive o medo de acontecer o pior com a minha filha", afirma Maria José.

Além de tomar anticoncepcionais, Maria José continuou bebendo durante toda a gravidez e desconhecia que estava com pressão alta. "Eu fiz um exame ano passado e apareceu que eu estava com um cisto. Achei que era isso. As pessoas me perguntavam se eu estava grávida e eu achava engraçado, dizia que tinha que ver esse cisto", explica a dona de casa.

A família chegou a comprar remédios para a mãe por conta do cisto no útero. "A médica disse que, ela tomando, ia dissolver. A gente não sabia mesmo", explica Maísa. "Meu marido achou que eu tinha escondido dele. Como eu ia esconder se fiz exame e tudo?", diz, bem humorada, a mãe, que segue internada no Cisam para regular a pressão arterial.


Surpresa geral

Amiga de longa data de Zezinha, como é conhecida Maria José, Silvana Maria explica que foi uma surpresa geral. "Semana passada a gente estava bebendo e uma amiga perguntou da barriga dela. Zezinha dizia que tinha um negócio sambando, que tinha de voltar ao médico porque achava que era o cisto de novo. Ela não esconderia uma coisa dessas da gente", acredita Silvana.

Os nove primeiros filhos de Maria José são de um primeiro relacionamento, enquanto os outros quatro, incluindo Vitória, são do atual marido, Herinque, que trabalha com biscates. "Ela nasceu sem roupa, sem nada. Estamos correndo para tentar providenciar", relata a mãe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário