segunda-feira, 13 de abril de 2015

Silicone encontrado com ossada é de desaparecida há 12 anos, diz polícia.

Silicone encontrado com ossada é de desaparecida há 12 anos, diz polícia

Empresa onde vítima adquiriu prótese reconheceu número de série.
Delegado diz que aguarda apenas confirmação do exame de DNA.

 
Graziela Rezende 
Do G1 

Laudo de exame de DNA em ossada deve sair em 30 dias, diz polícia de MS (Foto: Divulgação/ Polícia Civil MS) 
Laudo de exame de DNA em ossada deve sair em 30 dias, diz polícia 
(Foto: Divulgação/ Polícia Civil MS)
 
A Polícia Civil confirmou, nesta quinta-feira (9), que as próteses de silicone que estavam com a ossada enterrada na fossa de uma madeireira, em Campo Grande, são de Marília Débora Caballero, desaparecida desde 2003. O delegado Messias Pires, adjunto da 6ª Delegacia, disse que a confirmação ocorreu porque a fabricante do silicone identificou a vítima como cliente.
“A empresa reconheceu o número de série e, por conta disso, foi possível a identificação da vítima. No entanto, ainda aguardamos o resultado de DNA. O laboratório nos deu um prazo e estamos aguardando”, afirmou ao G1 o delegado.
O representante da empresa, Fabrício Martins, disse que, após uma pesquisa pessoal, foi constatada a compra do produto pela mulher.
Até o momento, o delegado afirmou que ouviu inúmeras pessoas, inclusive uma que locava um imóvel pertencente ao proprietário da madeireira.
“Ele confirmou que este homem mantinha um relacionamento com a vítima e que ela inclusive morou, por um tempo, em uma casa em frente à madeireira”, explicou o Pires.
Outros parentes do suspeito do crime prestaram depoimento e confirmaram que eles tinham um relacionamento. No entanto, ninguém deu detalhes, segundo o delegado.

Ossada humana é encontrada enterrada dentro de fossa 
(Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Ossada humana é encontrada enterrada dentro de fossa em Campo Grande (Foto: Divulgação/Polícia Civil)Entenda o caso

A ossada humana foi encontrada enterrada na fossa de uma empresa, no bairro Taveirópolis. A Polícia Civil disse que os indícios eram de que o esqueleto estava soterrado há pelo menos 12 anos.
No material encontrado havia próteses de silicone e uma calcinha, indicando a possibilidade de ser uma mulher.
A ossada foi encontrada pelo funcionário da madeireira enquanto retirava areia da fossa. Os ossos estavam divididos em três sacos de ração de cachorro que tinham, na data de fabricação, o ano de 2003. Para o delegado, isso indica a antiguidade do soterramento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário