terça-feira, 3 de março de 2015

Estudo determina tamanho médio do pênis após analisar 15 mil homens.

Estudo determina tamanho médio do pênis após analisar 15 mil homens

Comprimento médio de um pênis ereto é de 13,12 centímetros.
Estudo 'Eu sou normal?' foi publicado na revista 'BJU International'.

 
Do G1

Estudo analisa 15 mil homens e determina tamanho médio do pênis (Twitter/BBC)Uma pesquisa científica para descobrir qual é o tamanho considerado normal de um pênis (comprimento e circunferência) levou especialistas britânicos a analisar medições feitas em 15.500 homens, distribuídas por 17 estudos.

A partir da análise, eles determinaram que o comprimento médio de um pênis flácido é de 9,16 centímetros e o de um pênis esticado é de 13,24 centímetros. O comprimento médio de um pênis ereto é de 13,12 centímetros. Já a circunferência do órgão, sempre em valores médios, fica entre 9,31 centímetros em repouso e 11,66 centímetros quando ereto.

Publicada na revista especializada em urologia "BJU International", a pesquisa, que recebeu o título "Eu sou normal?", pode ser útil para aconselhar as pessoas preocupadas com o tamanho de seu pênis, às vezes a ponto de sofrer dismorfofobia (temor desproporcional de ter um defeito corporal) ou perguntas sobre o uso do preservativo e as dimensões do pênis.


Gráfico explicativo

Com esse objetivo, o doutor David Veale (King's College London, Londres) e seus colegas se basearam em uma série de investigações para estabelecer um esquema gráfico ou "nomograma" que representa a distribuição do tamanho do pênis em repouso ou em ereção e suas variações normais.

Trata-se de um diagrama similar ao utilizado para avaliar as curvas de crescimento (peso e tamanho) das crianças e as variações consideradas normais.

Segundo o doutor Veale, “estes gráficos ajudarão os médicos a tranquilizar a grande maioria dos homens sobre o tamanho de seu pênis” dentro dos parâmetros normais.

Por definição, nos gráficos a metade dos homens se situa abaixo do valor médio e a outra metade acima. A maioria dos homens observados no estudo são caucasianos ou do Oriente Médio, advertem os autores da pesquisa, que pode ser lida aqui (em inglês).

Nenhum comentário:

Postar um comentário