terça-feira, 10 de março de 2015

Estado Islâmico divulga vídeo de israelense sendo morto por menino.

EI afirma ter executado árabe-israelense acusado de espionagem

Vídeo mostra Muhammad Said Ismail Musallam sendo morto por menino.
Após execução, outro jihadista fala em francês e ameaça israelenses.

 
Da France Presse

Estado Islâmico divulga nesta terça-feira (10) vídeo em que afirma mostrar execução de árabe israelense acusado de espionagem (Foto: Reprodução/ Twitter/ Rita Katz) 
Estado Islâmico divulga nesta terça-feira (10) vídeo em que afirma mostrar execução de árabe israelense acusado de espionagem (Foto: Reprodução/ Twitter/ Rita Katz)
 
 
O grupo Estado Islâmico (EI) postou nesta terça-feira (10) um vídeo que afirma mostrar a execução por um jovem de um árabe-israelense, acusado de espionar para o serviço secreto israelense.
No vídeo de mais de 10 minutos, é possível ver um homem se apresentar como Muhammad Said Ismail Musallam, vestido com um uniforme laranja, e mostrar seu passaporte israelense.
Em seguida, ele é morto com um tiro na cabeça por um jovem garoto. Um jihadista, falando em francês, ameaça atacar israelenses, após se referir ao recente ataque contra judeus na França, e de conquistar Jerusalém.
O vídeo continua com uma lista de nomes acompanhados por fotos de homens apresentados como espiões de Israel.
Em fevereiro, o pai de Muhammad Said Ismail Musallam havia negado que seu filho trabalhava para o Mossad, o serviço israelense de Inteligência, após a publicação na Dabiq, a revista em inglês do EI, de um artigo apresentado como a entrevista de um jovem de 19 anos enviado à Síria pela agência de inteligência israelense.
"Meu filho é inocente. O ISIS (um dos nomes dados ao Estado Islâmico) o acusa porque ele tentou fugir", declarou à AFP, sem contestar o fato de o seu filho ter interrompido seu serviço civil israelense para partir e se juntar aos jihadistas na Síria.
Um porta-voz do Shin Beth, o serviço de segurança israelense, afirmou na ocasião que o jovem havia partido em 24 de outubro para a Turquia, e depois para a Síria, e que, segundo as informações israelenses, ele teria se juntado ao EI.
"Mas por sua própria iniciativa e sem o conhecimento de seus pais", segundo o porta-voz.

A mãe de Muhammad Musallam segura a foto de seu filho em Jerusalém, em foto de arquivo de 12 de fevereiro deste ano, antes da divulgação do vídeo que mostra o que seria a execução do jovem pelo Estado Islâmico (Foto: Ammas Awad/Reuters) 
A mãe de Muhammad Musallam segura a foto de seu filho em Jerusalém, em foto de arquivo de 12 de fevereiro deste ano, antes da divulgação do vídeo que mostra o que seria a execução do jovem pelo Estado Islâmico (Foto: Ammas Awad/Reuters)

Nenhum comentário:

Postar um comentário