domingo, 22 de março de 2015

Comércio de Divinópolis, MG, adota prevenção contra furtos de ovos de chocolate na Páscoa.

Comércio adota prevenção contra furtos de ovos de chocolate na Páscoa

Segundo gerentes, consumidores 'mal intencionados' aproveitam brechas.
Especialista em segurança de Divinópolis recomenda uso de câmeras.

Ricardo Welbert 
Do G1 

Ovos maiores são os que mais atraem ladrões, afirmou especialista (Foto: TV Globo Minas/Reprodução)Ovos maiores são os que mais atraem ladrões, diz especialista (Foto: TV Globo Minas/Reprodução)

Vitrines, gôndolas e parreiras de lojas de departamento, supermercados e varejistas do setor de chocolates já estão repletas de ovos de Páscoa e, aos poucos, aumenta o fluxo de consumidores nesses estabelecimentos. Porém, é neste período que a incidência de furtos tende a aumentar no varejo, de acordo com a Associação Mineira de Supermercados (Amis). Não é só com o chocolate que os lojistas precisam se preocupar. Afinal, eles investem nos estoques de outros produtos relacionados à Páscoa, como vinho e bacalhau, para aproveitar o pico de vendas que ocorre nesta época, que é uma das seis datas festivas mais importantes para o comércio no ano.
Paulo Roberto Pereira, gerente de um supermercado na região central de Divinópolis, disse que desde que assumiu o cargo, em janeiro de 2012, constatou vários furtos de chocolates. "Concluímos que isso acontecia porque os produtos ficavam nas prateleiras dos corredores, onde a visibilidade é menor e não temos câmeras. A arara de ovos de Páscoa também ficava em um local que facilitava o furto. Decidimos levar todos os produtos para prateleiras próximas aos caixas, onde a visibilidade é maior e existe o monitoramento. Houve uma redução drástica no sumiço desses produtos", relatou.
No supermercado onde atua o gerente de perdas Marcelo Albuquerque Lopes, foram furtados sete ovos de páscoa em 2014. Um prejuízo de quase R$ 500. "Em supermercado é comum pessoas mal intencionadas esconderem produtos pequenos por baixo das roupas ou em sacolas que já carregavam ao entrar no estabelecimento. Mas os ovos furtados eram grandes. Adotamos o cuidado de orientar quem está nos caixas a observar excessos de volumes nas vestes dos consumidores", contou.
Ainda de acordo com a Amis, ovos de chocolate atraem pessoas mal intencionadas porque custam até seis vezes mais do que uma barra de chocolate com o mesmo peso líquido. E ainda, esses produtos podem ser facilmente ocultados e costumam ser retirados dos estabelecimentos escondidos em sacolas, bolsas e carrinhos de bebê.
Por isso, a entidade recomenda treinar os funcionários para esse tipo de prevenção, direcionar câmeras de segurança para as áreas de exposição dos produtos e aumentar a vigilância quanto a esses pequenos furtos.
Luiz Fernando Sambugaro, diretor de uma empresa que fabrica aparelhos antifurto para o varejo, explicou que além dos produtos à base de chocolate, bichos de pelúcia e os ovos com brinquedos voltados para crianças também são bastante visados por criminosos. "Quem possui câmeras de vigilância deve verificar as atividades, ter alertas de que a área está sendo filmada e atenção redobrada por parte dos frentistas da loja", alertou o executivo.
Ele deu algumas dicas importantes. "É preciso dar maior atenção aos compradores em grupos, pessoas que portem sacolas grandes e utilizem agasalhos em tempos de verão. Ou seja, a rotina diária deve ser mais apurada nesse período", orientou.
O furto também pode ocorrer no recebimento das mercadorias. Por isso, ainda segundo o especialista, é importante que os itens sejam tratados como produtos de alto risco, conferidos por um fiscal de prevenção de perdas e acompanhados até o local de armazenamento. No estoque, uma contagem diária deve ser feita para garantir o controle do saldo.

Modelo de câmera articulável é recomendado por especialista (Foto: Gunnebo/Divulgação)Modelo de câmera articulável é recomendado por especialista (Foto: Gunnebo/Divulgação)

Tanta proteção tem um único objetivo: ampliar o lucro. Para que o varejista amplie suas vendas com segurança, o diretor disse que é preciso ficar atento e monitorar corretamente tudo o que acontece na loja. "Tudo isso serve como uma forma de aumentar as vendas sem que as perdas tenham impacto ou alguns produtos apresentem margens negativas", explica.
Dentre as medidas simples que podem proporcionar melhorias e evitar perdas está o uso de um circuito fechado de TV. "Isso serve para inibir, flagrar e coibir a ação de pessoas mal intencionadas", disse. "Também é preciso verificar se os produtos de alto risco estão devidamente protegidos com etiquetas antifurtos", completa.
A tecnologia antifurto, afirma Sambugaro, permite aos gestores tomarem medidas necessárias para combater os prejuízos. Cada sistema gera resultados eficientes no combate aos furtos e, utilizados de forma integrada, aumentam mais o nível de prevenção de perdas. "Além disso, é fundamental orientar funcionários para redobrar a atenção nos horários de maior movimentação, pois, aliar soluções tecnológicas com treinamento profissional é o caminho ideal para o lojista evitar perdas e aumentar lucros em seus negócios", esclareceu.


Registros na polícia

Procurada pelo G1, a Polícia Militar em Divinópolis informou que a maior parte dos furtos ocorridos em supermercados não é registrada em boletins de ocorrência. "Isso porque os responsáveis por estes estabelecimentos resolvem a questão internamente, tomando medidas antifurto. Por isso, não podemos afirmar que há aumento de furto a chocolates durante a Páscoa na cidade, porque esses relatos não chegam a nós", informou o capitão Marco Paulo Gontijo, do 23º Batalhão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário