quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Unimed anuncia fim da parceria com o Fluminense.

Unimed anuncia fim da parceria com o Fluminense

Acordo durou 15 anos e levou o clube, que estava na Série C, a uma série de conquistas. Muito dependente da patrocinadora, equipe tem futuro incerto

Fred, o capitão e ídolo do Fluminense, tinha seu salário quase todo bancado pela Unimed
Fred, o capitão e ídolo do Fluminense, tinha seu salário quase todo bancado pela Unimed  
(Dudu Macedo/Fotoarena) 

 
A parceria entre a rede de assistência médica Unimed e o Fluminense, uma das mais duradouras e controversas do futebol brasileiro, chegou ao fim nesta quarta-feira depois de 15 anos. A empresa anunciou por meio de um comunicado oficial que o vínculo com o clube carioca, que iria até 2016, foi rompido em decisão unilateral. Desde o início da parceria, em 1999, o Fluminense conquistou diversos títulos - três cariocas (2002, 2005 e 2012), uma Copa do Brasil (2007) dois Brasileiros da Série A (2010 e 2012) e um da Série C (1999) – e conseguiu bancar a contratação de grandes atletas, como Romário e Fred.

Wagner Meier/Fotoarena
Peter Siemsem e Celso Barros com a taça de campeão brasileiro de 2012
Peter Siemsem e Celso Barros com a taça de campeão brasileiro de 2012 De acordo com Celso Barros, presidente da patrocinadora, o acordo “é fruto de uma revisão da estratégia de marketing da empresa”. Apesar de ser apenas o mandatário da parceira, Celso Barros exerceu enorme influência nas decisões da diretoria do Fluminense nos últimos anos. A Unimed bancava de 50% a 80% dos direitos de imagens dos atletas e treinadores, o que aliviou as finanças da equipe e deu enormes poderes à patrocinadora. Torcedor apaixonado do clube, Celso Barros se tornou uma espécie de mecenas do Fluminense e ganhou status de ídolo no clube – torcedores ostentaram bandeiras com o rosto de Celso Barros após grandes conquistas. 
A relação de dependência do Fluminense em relação à Unimed, porém, gerou discussões internas, sobretudo no mandato do atual presidente Peter Siemsen. Neste ano, a empresa passou por uma crise financeira após a construção de um hospital na Barra da Tijuca e decidiu reduzir o investimento na equipe carioca, se comprometendo apenas a bancar os contratos assinados anteriormente. A decisão, que deveria ser anunciada até o dia 15, foi antecipada nesta quarta-feira por Celso Barros. Agora, o Fluminense terá que correr atrás de novos patrocinadores e a tendência é que as contratações para a próxima temporada sejam bem mais modestas. A maioria dos atletas, que eram bancados pela Unimed, não deve renovar contrato. O lateral Carlinhos já foi anunciado como reforço do São Paulo. Diego Cavalieri, Rafael Sobis e Fred também podem deixar o clube em janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário