segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Queijo da Canastra tombado como Patrimônio Imaterial Brasileiro vira marca em MG.

Queijo tombado como Patrimônio Imaterial Brasileiro vira marca em MG

Queijo da Canastra é feito em sete municípios do Centro-Oeste do estado.
Lançamento será realizado em São Roque de Minas na quarta-feira (10).

 
Do G1

Tradição e inovação são aliadas na produção do queijo canastra (Foto: Reprodução/TV Integração)Tradição e inovação são aliadas na produção do
queijo canastra (Foto: Reprodução/TV Integração)

Será lançada na quarta-feira (10) a marca Região do Queijo da Canastra, que contempla a iguaria tombada como Patrimônio Cultural e Imaterial Brasileiro, e certificada pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) com o selo Indicação Geográfica (IG), na modalidade Indicação de Procedência (IP), que garante sua origem.
O lançamento será realizado em São Roque de Minas, um dos sete municípios do Centro-Oeste de Minas Gerais que produzem o Queijo da Canastra. Cerca de 800 produtores estão distribuídos ainda nas cidades Bambuí, Delfinópolis, Medeiros, Piumhi, Tapiraí e Vargem Bonita.
Segundo a Associação dos Produtores de Queijo da Canastra (Aprocan), a produção do queijo é artesanal em todas as suas etapas e chega a 16 mil quilos por dia.


Características do queijo

A altitude e o clima são determinantes para as características do Queijo da Canastra. Para a produção da iguaria são utilizados de 10 a 12 litros de leite, coalho e fermento lácteo natural, tirado do próprio soro. Depois de pronto, o queijo entra em maturação por cerca de 22 dias. processo considerado importante para agregar ainda mais qualidade ao produto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário