sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Pássaros sentem as tempestades e fogem dois dias antes.

Pássaros conseguem sentir a chegada de tempestades

Conclusão partiu de estudo com aves com dispositivos de geolocalização.
Pássaros abandonaram região dois dias antes de grande tempestade.

 
Da France Presse

   Uma mariquita d'asa amarela com um geolocalizador em suas costas e uma fita de identificação em suas pernas é visto nas montanhas Cumberland, do Tennesse: estudo conclui que espécie sente que tempestade está vindo  (Foto:  Reuters/Gunnar Kramer) 
Uma mariquita d'asa amarela com um geolocalizador em suas costas e uma fita de identificação em suas pernas é visto nas montanhas Cumberland, do Tennesse: estudo conclui que espécie sente que tempestade está vindo (Foto: Reuters/Gunnar Kramer)


Algumas aves demonstram ter um sexto sentido para antecipar a chegada de tempestades e fugir, segundo um estudo publicado nesta quinta-feira (18).
Enquanto estudavam pequenas aves migratórias com dispositivos de geolocalização, os cientistas observaram que elas abandonaram uma zona para se reproduzir pouco depois de sua chegada e dois dias antes de uma forte tempestade em abril, que provocou pelo menos 84 tornados no Tennessee, onde 35 pessoas morreram.
As mariquitas d'asa amarela (Vermivora chrysoptera) viajaram 1.500 km em cinco dias para escapar desta tempestade, disseram os autores do estudo publicado na revista especializada "Current Biology" nos Estados Unidos.
"O mais curioso é que estes pássaros abandonaram o lugar muito antes da chegada das chuvas", estimou Henry Streby, um ecologista da Universidade da Califórnia, em Berkeley.

 Mariquita d'asa amarela defende seu território  (Foto: Reuters/Henry Streby)Mariquita d'asa amarela defende seu território
(Foto: Reuters/Henry Streby)

"Quando os especialistas do canal meteorológico nos disseram que a tormenta se dirigia a nós, os pássaros se preparavam para sair da zona", explicou.
Segundo os pesquisadores, as aves, ao contrário dos humanos, são capazes de escutar infrassons de baixíssima frequência que se propagam em longas distâncias e são gerados principalmente por perturbações meteorológicas severas.
"Os meteorologistas e físicos já sabiam que as tempestades que geram tornados produzem fortes emissões de infrassons, que viajam milhares de quilômetros e a frequências as quais estes pássaros são mais sensíveis", explicou o ecologista.
Os pesquisadores também mostraram que esta espécie, que segue as mesmas rotas migratórias todos os anos, pode também efetuar deslocamentos fora de seus períodos de migração quando necessário.
Este sexto sentido dos pássaros é uma boa notícia para sua sobrevivência em meio ao aquecimento climático, que conduzirá a um aumento da intensidade e frequência de tempestades e tornados, destacaram.
"Isso significa que, diante ao aquecimento climático, os pássaros deverão se adaptar melhor do que alguns previam", afirmou Streby.

Nenhum comentário:

Postar um comentário