segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Nova Serrana, MG, ocupa 20ª posição em ranking de homicídios.

Nova Serrana ocupa 20ª posição em ranking de homicídios, segundo Seds

Número de homicídios cresceu a cada ano e já passou de 40 em 2014.
Seds informou que instalação de batalhão permitirá ampliação de ações.

 
Ricardo Welbert 
Do G1 

Nova Serrana possuía 73.699 habitantes em 2010, segundo o IBGE (Foto: TV Integração/Reprodução)Número de homicídios coloca Nova Serrana na 20º lugar em ranking 
(Foto: TV Integração/Reprodução)

Nova Serrana, no Centro-Oeste de Minas Gerais, ocupa a 20ª posição no ranking de homicídios praticados nas 853 cidades mineiras, segundo balanço da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds). Os números de homicídios e de pessoas assassinadas cresceram nos últimos dois anos.
De acordo com a Seds, em 2012, foram registrados 19 homicídios consumados na cidade, que tem cerca de 73 mil habitantes, segundo o censo realizado em 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O total de vítimas no mesmo período não foi informado pelo órgão. Já em 2013, foram 23 ocorrências com 25 vítimas. Em 2014, foram 27 crimes e a mesma quantidade de pessoas assassinadas somente até setembro.
No entanto, conforme o G1 informou no dia 29 de novembro, um duplo homicídio elevou para 42 o número de registros desse tipo de crime no município neste ano. Na ocasião, um jovem de 25 anos foi morto com um tiro nas costas no Bairro Planalto. Ele estava em uma motocicleta quando homens armados se aproximaram, efetuaram disparos e fugiram. Ninguém foi preso. Já outro jovem, de 23 anos, foi morto a tiros no Bairro Morada do Sol. Ele dormia em casa quando dois homens armados entraram no local e atiraram nele várias vezes. A vítima morreu ainda no local e, mais uma vez, ninguém foi preso.

Segundo a Polícia Militar (PM), a falta de um centro socioeducativo em Nova Serrana contribui para o aumento nos crimes na cidade. “A gente observa que a grande maioria desses crimes hoje é cometida por menores de idade, adolescentes em sua maioria, reincidentes na prática de homicídio. As causas variam, mas a maioria é motivada por tráfico de drogas. Há também crimes passionais e outras práticas”, disse o tenente Sérgio Rabelo.
Para a delegada Elenita Batista Lopes, é preciso reforçar o efetivo. “Precisamos de mais pessoal, de mais policiais. Continuamos apurando, investigando e nos esforçamos mais do que anteriormente”, afirmou.


Reforço de efetivo, apoio e novo batalhão

Em nota ao G1, a Seds informou que trabalha para reduzir os indicadores de criminalidade em Nova Serrana e que, em 2014, foram destinadas seis novas viaturas à Polícia Militar. Na próxima terça-feira (8), a Companhia da PM de Nova Serrana será elevada à condição de Batalhão (60º Batalhão da PM). Segundo a Seds, isso permitirá a ampliação das ações realizadas na cidade.
Em relação ao número de policiais, a Seds afirmou que 1.900 policiais militares se formaram no último mês e reforçarão o efetivo em todo o estado, incluindo também Nova Serrana. Ainda segundo a secretaria, a PM realiza trabalhos de prevenção, entre eles ações de policiamento ostensivo por meio de abordagens em locais estratégicos com cumprimento de mandados. “Exemplo disso é a Operação Força Tarefa, em que, periodicamente, a cidade recebe o apoio de outras unidades da região na realização de operações. Também conta com o apoio da 7ª Companhia de Missões Especiais da 7ª Região, que auxilia em operações preventivas e em ocorrências mais complexas”, diz trecho da nota.
Ainda de acordo com a Seds, a Companhia da Polícia Militar de Nova Serrana também recebe periodicamente o apoio do Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas (Rotam) de Belo Horizonte (MG) em operações de repressão ao crime. “Vale ressaltar que desde o ano passado a Seds, em parceria com outras instituições, tem realizado em Nova Serrana e outros municípios a Operação Impacto, cujo foco é a repressão qualificada aos infratores envolvidos na prática de tráfico de drogas e outros crimes por meio do cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão”, acrescentou o órgão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário