quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Transexual morre após fazer implante de silicone.

Transexual morre após fazer implante de silicone em Curitiba, diz mãe

Família e amigos não souberam informar onde foi feito o procedimento.
Mãe conta que já havia pedido para que filha parasse com os implantes.

 
Do G1 

Bruna Dutra morava em Curitiba há cerca de oito anos (Foto: Reprodução/Facebook) 
Bruna Dutra morava em Curitiba há cerca de oito anos (Foto: Reprodução/Facebook)


Uma transexual de 31 anos morreu na noite de terça-feira (4), em Curitiba, após fazer um implante de silicone, segundo a mãe dela. Conforme a família, Bruna Dutra deu entrada em um hospital de Curitiba ao se sentir mal, ainda na noite de terça. Horas depois, os médicos informaram da morte.
A mãe de Bruna, Maria Cordeiro, não soube informar como foi feito o transplante. Ela é de Belém e veio a Curitiba visitar a filha, que morava na capital paranaense há cerca de oito anos. “Eu vim para visitar e agora vou voltar só com as cinzas dela”, lamenta.
A mãe conta que já havia pedido para que Bruna parasse de fazer novos implantes. “Eu dizia: ‘Filha, já está bom assim’. Mas ela não ouvia”, lembra Maria. Ainda de acordo com a mãe, Bruna fez o implante sem avisá-la. Nem a mãe, nem as amigas souberam dizer se o implante foi feito em alguma clínica ou por conta própria por Bruna.
A reportagem tentou contato com o Hospital Instituto de Medicina e Cirurgia do Paraná, onde Bruna deu entrada na noite de terça-feira e acabou morrendo. A unidade informou que não poderia repassar detalhes sobre o caso.
O velório de Bruna ocorre na Capela Vaticano, no bairro Bom Retiro, em Curitiba. O corpo deve ser cremado na quinta-feira (6), às 18h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário