quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Suspeita de aplicar calote em mais de mil pessoas é presa em Divinópolis, MG.

Suspeita de aplicar calote em mais de mil pessoas é presa em Divinópolis

PM chegou à foragida após encontrar carro abandonado por criminosos.
Mulher pode ter lesado investidores em mais de R$ 70 milhões.

 
Ricardo Welbert  
Do G1 


Uma mulher de 50 anos que era procurada pela Justiça Federal em todo o país por suspeita suspeita de envolvimento em um calote que lesou milhares de investidores e gerou um rombo de R$ 70 milhões em Divinópolis foi presa nesta terça-feira (4) na cidade mineira. Ela foi encontrada pela polícia após uma pista surgir durante a apreensão de um carro abandonado por fugitivos.
De acordo com o tenente Thiago Faria, da Polícia Militar (PM), há alguns dias criminosos fugiram de uma abordagem policial na região do Lago das Roseiras e, durante a fuga, eles abandonaram dois veículos. Um está registrado em nome da mulher. "Ao consultar os dados do carro ficou constatado que um deles pertenceia à foragida da Justiça", explicou.
Segundo a Justiça, a dona do veículo encontrado era procurada por causa de um prejuízo milionário que gerou a terceiros por meio de empresas que pertenciam a ela, ao marido e a filhos deles.
Um dos negócios era uma imobiliária instalada em Divinópolis que por 15 anos arrecadou recursos prometendo pagar juros duas vezes maiores que os estipulados pelo mercado, aplicando os valores em operações de alto risco. Em 2009, os empresários deram início a uma série de calotes e decretaram falência. O rombo financeiro causado por eles aos 1.094 investidores em Divinópolis pode superar R$ 70 milhões.
O marido da mulher presa foi enquadrado na Lei de Mercados de Capitais, suspeito de usar a imobiliária para operar irregularmente com clube de investimentos em ações. Ele também chegou a ter os sigilos pessoais bancário e fiscal quebrados.


Localização

Os homens que abandonaram o carro registrado no nome da procurada pela Justiça conseguiram fugir a pé durante a ocorrência. Ao fazer as averiguações, os policiais militares decidiram cruzar os dados do veículo com os da dona. Foi então que descobriram que a mulher, que é empresária, morava em um condomínio de luxo no Rio de Janeiro (RJ) e que tinha ido a Divinópolis para visitar parentes. A suspeita foi encontrada em uma casa no Bairro Halim Souki, onde recebeu voz de prisão e em seguida foi levada para a delegacia da Polícia Civil de Divinópolis. O G1 tentou contato com o órgão, por telefone. Mas, as três ligações não foram atendidas. O marido da suspeita continua foragido.
A pedido do Ministério Público Federal, os suspeitos tiveram os passaportes retidos e ficaram proibidos de deixar o país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário