quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Prefeitura suspende festas de fim de ano em Formiga, MG, para quitar despesas.

Prefeitura suspende festas de fim de ano em Formiga para quitar despesas

Verba será usada para pagar servidores municipais e para finalizar UPA.
Inadimplência é apontada como um dos fatores que afetam os cofres.

 
Do G1

Obras UPA Formiga MG (Foto: Prefeitura de Formiga/Divulgação)Obras da UPA em Formiga 
(Foto: Prefeitura de Formiga/Divulgação)

A Prefeitura de Formiga anunciou nesta quarta-feira (19) que a cidade não vai ter festas de fim de ano com o objetivo de priorizar o pagamento de outras despesas. Caso sobre algum recurso, será mantida a queima de fogos no Morro do Cristo na virada do ano.
“A palavra de ordem é economizar. Estamos determinando a todas as secretarias que façam apenas as despesas essenciais. Temos de redobrar a responsabilidade neste momento difícil não só para a Prefeitura de Formiga, mas para praticamente todas as prefeitura do país”, afirmou o prefeito Moacir Ribeiro, por meio de nota.
Ainda segundo o Executivo, a verba disponível será utilizada para o pagamento dos salários e do 13º dos servidores municipais, bem como para a finalização de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na cidade.
A Prefeitura também informou que outras medidas estão sendo adotadas para economizar os recursos do município. Entre as ações, está a suspensão de novas compras, exceto as consideradas essenciais e para serviços continuados, a retirada de sete projetos de lei que criariam novos cargos, a otimização do uso de veículos oficiais, a contenção de despesas com combustível, energia e telefonia, além da renegociação dos contratos com prestadores de serviços e fornecedores.
“Os valores de todos os repasses federais e estaduais estão oscilando muito e, em alguns casos, chegando a até 60% abaixo das previsões feitas pelos órgãos responsáveis. Por isso, precisamos economizar e otimizar a utilização dos recursos para evitar imprevistos”, completou o secretário municipal de Fazenda, Gonçalo Faria, também por meio de nota.


Inadimplência

A inadimplência é apontada pelo Executivo como um dos fatores que afetam os cofres municipais. Segundo a nota divulgada, a dívida de IPTU neste ano chega a 32%, o correspondente a R$ 1,2 milhão. O município tem R$ 6 milhões para receber em dívidas e diz que vai recorrer à Justiça caso os devedores não renegociem e realizem os pagamentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário