quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Pipa enrosca em fiação elétrica e menino morre após levar choque.


Pipa enrosca em fiação elétrica e menino morre após levar choque

Garoto, de 13 anos, brincava em terreno baldio em Botucatu, SP.
Descarga elétrica foi tão forte que a rua ficou sem energia.

 
Do G1 


Um menino de 13 anos morreu nesta quinta-feira (20) depois que a pipa com que ele brincava enroscou na fiação elétrica da Rua Antenor Serra no Jardim Monte Mor em Botucatu (SP). De acordo com informações da polícia, quando o Corpo de Bombeiros chegou ao local o menino já estava morto.
Segundo os moradores, o menino empinava pipa sozinho no local. O choque foi tão forte que a rua ficou sem energia elétrica por mais de uma hora. O morador Claudinei Silveira foi o primeiro a perceber que algo havia acontecido.
Ele disse que o barulho de explosão foi alto e lamentou: “A gente fica chocado porque sou pai também, é uma situação muito difícil, mas a gente tem que ter força para tentar ajudar, chamar o socorro”.

Linha da pipa ficou presa em fios de alta tensão  (Foto: Reprodução / TV TEM)Linha da pipa ficou presa em fios de alta tensão
(Foto: Reprodução / TV TEM)
 
Muitos parentes da vítima foram até a casa onde o menino morava. Abalados, os pais não quiseram dar entrevista. A perícia recolheu o material usado pelo adolescente e vai analisar se na linha havia algum material condutor de eletricidade.
O Corpo de Bombeiros alerta sobre os perigos de empinar pipa com cerol e perto de fios elétricos. “Soltar pipa é uma brincadeira divertida, mas os pais têm que estar atentos porque com o uso de cerol ela pode se tornar um risco e os acidentes acontecem. Algumas linhas podem conduzir energia elétrica devido aos materiais com os quais são feitas. Além disso, deve-se evitar os fios de alta tensão, ainda mais se as condições climáticas não forem favoráveis”, explicam os bombeiros.

Rua onde o menino mora ficou sem energia por mais de uma hora (Foto: Luiz Fernando/ Jornal Acontece) 
Rua onde o menino mora ficou sem energia por mais de uma hora 
(Foto: Luiz Fernando/ Jornal Acontece)

Nenhum comentário:

Postar um comentário