quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Mulher de 33 anos morre após cirurgia de lipoaspiração.

Mulher de 33 anos morre após cirurgia de lipoaspiração em Cunha, SP

Ela foi transferida para hospital em Guará com embolia pulmonar.
A recepcionista Regiane Osório pagou R$ 9 mil em três procedimentos.

 
Do G1 

Recepcionista morreu nesta teça (18) no Frei Galvão. (Foto: Arquivo pessoal)Recepcionista morreu nesta teça (18) no Frei
Galvão. (Foto: Arquivo pessoal)

Uma mulher de 33 anos morreu na noite desta terça-feira (18) no hospital Frei Galvão, em Guaratinguetá, interior de São Paulo, depois de ter feito lipoaspiração, preenchimento dos glúteos e mamoplastia (cirurgia para redução dos seios). Os procedimentos foram feitos no sábado (15) na Santa Casa de Cunha (SP). O médico responsável pela cirurgia foi suspenso pelo hospital e o Conselho Regional de Medicina (CRM) vai abrir uma sindicância para apurar o caso.
De acordo com o Hospital Frei Galvão,a paciente Regiane Osório foi transferida na noite de domingo (16) e chegou à unidade com quadro clínico de embolia pulmonar . Ela, que era recepcionista na Santa Casa de Cunha, morreu após complicações.
O médico que realizou a cirurgia na Santa Casa fazia parte do quadro de funcionários do hospital Frei Galvão. Para o diretor geral da unidade, Gilberto Nering, o médico tem responsabilidade pelo ocorrido. “Ele se arriscou ao realizar a cirurgia em um local sem Unidade de Terapia Intensiva. Há duas semanas falei com ele sobre esses riscos. Como parte do corpo clínico, ele mancha a imagem do hospital Frei Galvão”, disse.
Ainda de acordo com ele, o médico é especialista em cirurgia plástica e atuava anteriormente em Cruzeiro.

Transferência

Segundo a administração da Santa Casa de Cunha, apesar da unidade não contar com UTI, possui uma sala de atendimento especial intensivo que oferece o suporte necessário aos pacientes. Além disso, uma equipe médica acompanhou Regiane o tempo todo.
A unidade aponta que o problema teria sido a demora na chegada de uma ambulância, que faria a transferência da paciente para Guará.
A ambulância teria que ser disponibilizada pelo convênio da vítima e teria demorado mais de 24h após o pedido. “Se ela tivesse feito a cirurgia aqui [no hospital Frei Galvão] e tivesse alguma complicação, em no máximo 10 minutos estaria na UTI”, disse Nering.
Até a publicação desta reportagem, a Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil, convênio da paciente, não se pronunciou quanto a suposta demora para a chegada da ambulância. 

Cirurgia foi feita na Santa Casa de Cunha.
(Foto: Arthur Costa/ TV Vanguarda)
Cirurgia foi feita na Santa Casa de Cunha. (Foto: Arthur Costa/ TV Vanguarda)Pós operatório

Karina Monteiro, prima de Regiane, contou que no sábado (15), depois da cirurgia, Regiane foi levada diretamente para o quarto, em vez de ficar em um lugar reservado para o pós-operatório.
Segundo a Santa Casa, a paciente teria saído muito bem da sala operatória e, por isso, foi direto para o quarto. Em seguida ela teria apresentado uma fragilidade na respiração e começou a ser assistida por uma equipe médica.
Ainda segundo a prima de Regiane, algumas amigas, que trabalhavam na Santa Casa com a vítima, estranharam a demora para que a paciente acordasse. “No quarto, elas perguntaram para o noivo, mas ele não soube informar porque ela ainda estava desacordada. Elas perceberam então que Regiane estava sem pulsação e não respirava”, contou Karina.

A família acredita que a falta de infraestrutura da Santa Casa de Cunha foi o que levou Regiane ao óbito. O médico não foi localizado para comentar o caso e o Conselho Regional de Medicina informou que ele não responde processos no órgão.


Custos

O Hospital Frei Galvão informou que uma internação para uma cirurgia como essa custa R$ 2 mil na unidade, enquanto na Santa Casa de Cunha o valor é de cerca de R$ 600. A Santa Casa não confirrma o valor. A diferença entre os valores teria supostamente atraído a paciente para Cunha.
De acordo com a família, Regiane pagou R$ 9 mil por todo procedimento cirúrgico, quando a média cobrada por esse tipo de cirurgia varia de R$ 12 mil a R$ 14 mil. A Santa Casa também não se manifestou sobre esses valores.
O velório de Regiane foi realizado na Igreja Metodista de Cunha na manhã desta quarta-feira (19) e o enterro aconteceu às 15h30, no cemitério da cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário