sábado, 29 de novembro de 2014

Hospital São João de Deus afirma que Unidade II não será fechada.

Hospital São João de Deus afirma que Unidade II não será fechada

Em reunião, políticos e representantes de hospital definiram prioridades.
Participantes afirmam que foram apresentadas novas bases de trabalho.

 
Ricardo Welbert e Anna Lúcia Silva  
Do G1 

Pronto socorro de Divinópolis (Foto: Reprodução/TV Integração)Unidade II do HSJD
(Foto: Reprodução/TV Integração)

Uma reunião entre políticos e representantes do Hospital São João de Deus (HSJD) realizada na tarde desta sexta-feira (28) debateu a situação precária da Unidade II, que funciona no prédio que abrigava o Pronto-Socorro Regional. De acordo com o Sindicato Profissional dos Enfermeiros e Empregados em Hospitais, Casas de Saúde, Duchistas e Massagistas de Divinópolis (Sindeess), o local corre o risco de suspender o atendimento. A afirmação foi contestada pelo hospital, que garantiu que o serviço continuará sendo oferecido normalmente.
Participaram da reunião o prefeito de Divinópolis, Vladimir Azevedo; o secretário municipal de Saúde, Davi Maia; o de Governo, Honor Caldas; o procurador Rogério Farnese, o diretor técnico da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Marco Aurélio Lobão, além dos promotores de Justiça Sérgio Gildin e Ubiratan Domingues. Representando o hospital, compareceram Áriston Silva e Geraldo Couto.
De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura, houve debate sobre questões assistenciais, técnicas e financeiras. O grupo discutiu uma nova proposta de trabalho e concordou com a intervenção pelo Comitê de Crise do Hospital São João de Deus, nomeado pelo Governo de Minas em agosto de 2013. A reunião foi feita a pedido do corpo clínico, na busca por um acordo.
O hospital informou que os participantes estabeleceram as novas bases de funcionamento da Unidade II. "Desta forma, o setor continuará aberto, oferecendo todo o atendimento necessário aos seus usuários", explicou o HSJD.
O subsecretário de Estado de Política e Ações de Saúde, Tiago Lucas da Cunha Silva, que preside o Comitê de Crise, foi contatado durante a reunião. Ele concordou com a urgência em solucionar o impasse, convocando reunião para a próxima segunda-feira (1º), em Divinópolis, quando o documento deve ser finalizado. Também na segunda-feira, ainda segundo a Prefeitura, deve ser apresentada a proposta final aos médicos.

Evento definiu implantação do Sim Saúde em
Divinópolis (Foto: Anna Lúcia Silva/G1)
Evento definiu implantação do Sim Saúde em Divinópolis (Foto: Anna Lúcia Silva/G1)Unidade II

A Unidade II do HSJD foi planejada dentro do Sistema Integrado de Saúde (SIM), definido em março deste ano, em uma reunião da Superintendência Regional de Saúde, em Divinópolis. Na ocasião foi definido como funcionará a estrutura do Consórcio de Urgência e Emergência da Macrorregião Oeste. Ele engloba o projeto SIM na cidade e a implantação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que estava programado para funcionar na Unidade II do HSJD.
No mesmo dia o prefeito de Divinópolis, Vladimir Azevedo, assinou oito atos oficiais que efetivam a criação do programa SIM Saúde e na ocasião disse: "Isso significa uma nova rota para Divinópolis. Abrimos a UPA Padre Roberto na região Sudeste, o Pronto Socorro atual agora é a Unidade II do Hospital São João de Deus (HSJD), com 50 novos leitos pelo SUS, onde também será sede do Consórcio de Urgência e Emergência da macrorregião Oeste e da central de regulação do Samu. Ao mesmo tempo, abrimos quatro unidades de atendimento especiais em polos da cidade, fechando um cinturão para dar mais tranquilidade às famílias", explicou Vladimir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário