quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Ciúme provocou a morte da miss Honduras e da irmã.

Ciúme provocou a morte da miss Honduras e da irmã

Segundo testemunhas, namorado de Sofía ficou furioso ao vê-la dançando com outro homem em festa. Acabou disparando contra as duas irmãs

 


A miss Honduras Mundo, María José Alvarado, em foto sem data

A miss Honduras Mundo, María José Alvarado, em foto sem data - AFP/AFP


A comemoração dos 32 anos de Plutarco Ruiz terminou na trágica morte da miss Honduras Mundo, María José Alvarado, e de sua irmã Sofía, depois de um ataque de ciúmes do aniversariante. Segundo relatos de testemunhas, ao ver a namorada Sofía dançando com outro homem na festa, Plutarco ficou furioso. Os amigos tentaram acalmá-lo, em vão, e Sofía então decidiu ir embora, o que o enfureceu ainda mais.
Foi então que ele teria sacado a pistola nove milímetros e disparado contra a namorada, relatou o jornal La Prensa. Vários convidados saíram correndo do local, mas a irmã da vítima, a miss María José, ficou para defender Sofía. Acabou sendo atingida pelas costas, conforme a descrição feita pelas testemunhas a policiais. Uma outra versão indica que a miss foi baleada duas vezes nas costas ao tentar fugir.
Há informações não confirmadas de que elas chegaram a ser levadas para o hospital, mas não resistiram, o que levou à decisão de enterrar os corpos perto de um rio. Segundo a imprensa hondurenha, Plutarco teria obrigado outras pessoas a ajudá-lo a enterrar os corpos. A polícia informou que ainda busca por cúmplices do duplo homicídio.
A mãe das jovens, Teresa de Jesús Muñoz, relatou o desaparecimento das filhas no sábado, no dia seguinte à festa de aniversário. Na terça-feira, Plutarco e outro homem presente à comemoração foram detidos para esclarecimentos. Ontem a polícia informou que os dois corpos haviam sido encontrados e apontou o namorado de Sofía como responsável pelas mortes.
O crime provocou comoção no país com a maior taxa de homicídios do mundo, ao envolver María José, um rosto conhecido pela população, presente em várias campanhas publicitárias. Modelo de desfiles e figura frequente nas emissoras de TV do país, a rainha da beleza era descrita como uma jovem risonha e cordial, que queria se tornar diplomata no futuro. Ela viajaria para Londres esta semana para iniciar os preparativos para o Miss Mundo, em dezembro.
O chefe da polícia local, Leandro Osorio, disse ontem que "as unidades de investigação do Estado criaram uma frente comum para lidar com o crime abominável, que causou comoção em todo o país".

O Centro de Direitos das Mulheres condenou o assassinato lembrando que outras 328 mulheres foram mortas em Honduras desde o início deste ano. "Este caso evidencia a situação de violência generalizada contra as mulheres e a ausência de resposta do Estado de Honduras para prevenir, investigar e punir tais crimes".
“Não foi um crime passional; foi machismo”, afirmou Salvador Nasrallah, que contratou a miss como modelo de seu programa de TV, segundo declaração reproduzida pela agência Associated Press.

EFE/EFE
 Funcionários carregam corpo da miss Honduras e de sua irmã, desaparecidas no dia 13 de novembro

Funcionários carregam corpo da miss Honduras e de sua irmã, desaparecidas no dia 13 de novembro


(Com agência France-Presse)

Nenhum comentário:

Postar um comentário