quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Advogado diz que dentista não sabia de armas.

'Está abalada', diz advogado sobre dentista presa por suspeita de tráfico

Marina Stresser foi presa em Curitiba, suspeita de traficar armas e drogas.
Polícia tem 30 dias para concluir inquérito, e investiga outras pessoas.

 
Fernando Castro 
Do G1

Dentista Marina Stresser foi presa em Curitiba por suspeita de tráfico (Foto: Reprodução/RPC TV) 
Dentista Marina Stresser foi presa em Curitiba por suspeita de tráfico 
(Foto: Reprodução/RPC TV)
 
 
O advogado de defesa da dentista Marina Stresser, presa por suspeita de tráfico de armas e drogas, afirmou nesta quinta-feira (13) que a cliente está abalada com o ocorrido. Em entrevista ao G1, Wagner Magrini disse que ainda não poderá comentar o caso antes da conclusão do inquérito policial, porém, garantiu que ela não tinha conhecimento da presença das armas e das drogas no consultório e em casas dela.
A prisão ocorreu na garagem do consultório de Marina na terça-feira (11), quando ela e um homem de 25 anos, que também foi preso, iriam entregar uma espingarda semiautomática calibre 12 e uma pistola 9 milímetros municiada para uma mulher. Depois, no consultório, a polícia encontrou 30 balas de fuzil. Já em outras duas casas da dentista, foram apreendidos uma submetralhadora 9 milímetros, uma garrucha calibre 22 e munição de vários calibres, além de 1, 3 quilo de crack, 15,5 quilos de maconha e duas balanças de precisão.
Magrini afirmou que até o momento teve acesso apenas ao auto de prisão em flagrante, e que o documento “deixa várias dúvidas”. “Vamos esperar o término, e aí nós poderemos examinar com cautela para ver o que realmente ocorreu. Mas, a princípio, digo que não houve participação dela, ela é totalmente inocente”, atestou.
Segundo a delegada Camila Cecconello, o prazo para conclusão do inquérito policial é de 30 dias. Stresser já foi ouvida, mas, conforme a delegada, se recusou a comentar sobre as armas e as drogas. “A investigação continua para verificar as outras pessoas que podem estar envolvidas com o crime, porque ficou muito bem demonstrado o tráfico com a posse das armas na casa dela”, disse. Dentre os focos da investigação estão a origem das armas, e se elas foram utilizadas em crimes recentes - pelo menos uma das armas foi utilizada para proteger um traficante na Vila Torres, segundo a polícia.

Marina Stresser fez curso de tiro, segundo
delegada (Foto: Reprodução/RPC TV)
Dentista Marina Stresser (Foto: Reprodução/RPC TV)“Boa índole”

Segundo o advogado, Stresser é uma pessoa de boa índole, que está sendo vítima de sensacionalismo. “Se você a conhecesse há alguns dias veria que é uma pessoa prestativa, uma pessoa que recebia todo mundo – tivesse dinheiro ou, ou não – uma grande profissional, uma pessoa trabalhadora e honesta”, elogiou Magrini.
Ainda conforme o advogado de defesa, que conversou nesta quinta com Stresser, ela está muito abalada com a prisão. “Ponha-se no lugar de uma pessoa que está sendo acusada de uma coisa que não praticou. Ela está bem abalada porque não fez o fato e estão criando uma imagem dela que não é real”, disse.


Conselho

Em nota, o Conselho Regional de Odontologia do Paraná (CRO-PR) informou que aguarda a conclusão das investigações. Caso seja comprovado o envolvimento da profissional com crime, deve ser instaurado um processo administrativo disciplinar pela Comissão de Ética da autarquia. O CRO-PR cobra ainda rigor nas investigações e sustenta que, mesmo que se apure uma conduta criminosa por parte de Stresser, o fato não pode “macular a honra e a imagem da categoria que trabalha honestamente e com ética”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário