quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Polícia italiana fecha 'clínica do horror' e prende 13 pessoas.

Polícia italiana fecha 'clínica do horror' e prende 13 pessoas

Pacientes sofriam maus-tratos e eram mantidos em condições degradantes 

 

Imagens divulgadas pela polícia mostram que pacientes usavam lonas como lençóis
Imagens divulgadas pela polícia mostram que pacientes usavam lonas como lençóis   
(Reprodução/VEJA) 

 
Uma operação da polícia italiana fechou uma clínica que abrigava idosos e deficientes mentais na cidade de Montaquila, na região central do país, e prendeu treze pessoas, entre elas o prefeito, Francesco Rossi, que é dono do estabelecimento. Segundo as autoridades, os pacientes sofriam maus-tratos, eram mantidos em ambientes com péssimas condições de higiene e também eram amarrados às camas. A imprensa italiana chamou o local "clínica do horror”. 
Segundo o jornal Corriere della Sera, a denúncia sobre as condições do local partiram da família de um paciente. Imagens divulgadas pela polícia mostram que em vez de lençóis, as camas eram cobertas com lonas. A polícia afirma que homens e mulheres tinham de tomar banho juntos e se secar com lençóis sujos. Além do dono da clínica, também foram detidos médicos, fisioterapeutas, funcionários das áreas sanitária, social e administrativa. Os suspeitos devem ser indiciados por abuso, sequestro, lesões, agressões e abandono de incapaz. 
A divisão de saúde da polícia italiana investiga ainda outras vinte pessoas suspeitas de ligação com a cínica. Segundo a polícia, o local tinha estrutura para abrigar 150 pacientes, mas estava com 180 no momento da operação. Quando a polícia chegou, apenas dois funcionários cuidavam de todos os pacientes. "Esse comportamento é inaceitável e deve ser punido", afirmou a ministra da Saúde, Beatrice Lorenzin.

Nenhum comentário:

Postar um comentário