sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Malala e Kailash Satyarthi vencem Nobel da Paz.

Indiano Kailash Satyarthi e Malala Yousafzay vencem Nobel da Paz

Kailash Satyarthi é ativista de direitos das crianças na Índia.
Aos 17, Malala é a mais jovem vencedora do Nobel da Paz.

 
Do G1
 
A paquistanesa Malala e o indiano Kailash Satyarthi, em fotos de 2014 e 1999, respectivamente (Foto: Reuters/AFP) 
A paquistanesa Malala e o indiano Kailash Satyarthi, em fotos de 2014 e 1999, respectivamente (Foto: Reuters/AFP)


O indiano Kailash Satyarthi e a paquistanesa Malala Yousafzay venceram o prêmio Nobel da Paz de 2014 "pela sua luta contra a supressão das crianças e jovens e pelo direito de todos à educação", anunciou o comitê do Nobel na manhã desta sexta-feira (10). Satyarthi é um ativista de direitos das crianças na Índia e a menina Malala sobreviveu a uma tentativa de assassinato dos talibãs em 2012 por sua militância a favor da educação das meninas em sua região natal do noroeste do Paquistão. Aos 17 anos, ela é a mais jovem ganhadora do Nobel da Paz.
Depois de receber tratamento médico intensivo, Malala se mudou para a Grã-Bretanha. Em 2013, ela recebeu o prêmio Sakharov para a liberdade de consciência, concedido pelo Parlamento Europeu.
"As crianças precisam ir para a escola e não serem exploradas financeiramente. Nos países pobres do mundo, 60% da população atual tem menos de 25 anos. É pré-requisito para um desenvolvimento global pacífico que os direitos das crianças sejam respeitados", disse o presidente do Comitê Nobel norueguês, Thorbjoern Jagland.
"Kailash Satyarthi, mantendo a tradição de Gandhi, liderou várias formas de protestos e manifestações, todas pacíficas, focando na grave exploração das crianças para ganho financeiro. Ele também contribuiu para o desenvolvimento de importantes convenções internacionais sobre o direito da criança."
"Apesar de ser jovem, Malala Yousafzay já lutou por vários anos pelo direito das crianças pela educação, e mostrou pelo exemplo que crianças e jovens também podem contribuir para melhorar sua própria situação", disseram os membros do comitê, no anúncio do prêmio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário