quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Fumantes são mais vulneráveis ao HPV, mostra estudo.

Prevalência de HPV é maior entre fumantes, diz estudo

Segundo pesquisa americana, o tabagismo aumenta a vulnerabilidade de pessoas a um tipo do vírus responsável por provocar câncer de garganta

 

Tabagismo: cigarro prejudica capacidade de corpo lutar contra infecção por HPV
Tabagismo: cigarro prejudica capacidade de corpo lutar contra infecção por HPV (Thinkstock)


Um estudo publicado nesta quarta-feira sugere que o cigarro aumenta a propensão de uma pessoa contrair um tipo do HPV que provoca a maior parte dos cânceres de garganta associados ao vírus. A pesquisa foi feita na Faculdade de Saúde Pública da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, e divulgada no periódico Jama.
A maioria das pessoas infectadas pelo HPV é capaz de combatê-lo sem maiores dificuldades. No entanto, em uma parcela dos casos, o vírus permanece no organismo e pode levar a doenças mais graves, como o câncer de colo do útero e tumores orais.
Segundo os pesquisadores americanos, algumas pessoas são mais vulneráveis do que outras ao HPV e têm maiores dificuldades em lutar contra o vírus. Porém, os fatores que aumentam essa vulnerabilidade ainda não são conhecidos. 


Relação

O estudo analisou os dados de 6 887 pessoas que participaram de um estudo nacional sobre saúde nos Estados Unidos entre 2009 e 2012. Os pesquisadores observaram que a prevalência do tipo 16 do vírus HPV foi maior entre aquelas que tinham maiores níveis de substâncias relacionadas ao cigarro no corpo. O HPV16 é responsável por 90% dos casos de câncer de garganta associados ao vírus.
A pesquisa também mostrou que a vulnerabilidade ao vírus HPV16 aumentou mesmo entre ex-fumantes e pessoas que não fumavam, mas que eram expostas ao cigarro frequentemente. No entanto, os fumantes atuais foram os que tiveram o maior risco de contrair o vírus. Segundo o estudo, a cada três cigarros no dia, as chances de infecção pelo HPV16 aumenta em 31%.
As principais causas de câncer de garganta são cigarro, álcool e o HPV, como explica Gypsyamber D’Souza, professora da Universidade Johns Hopkins e uma das autoras do estudo. O tipo 16 do HPV não é comum na população, mas sua infecção aumenta em 30% o risco de tumores orais.
“A nossa pesquisa sugere que o cigarro pode fazer com que as infecções pelo HPV sejam menos combatidas e, assim, com que os fumantes tenham um risco maior de eventualmente desenvolver o câncer de gargante”, diz Gypsyamber. De acordo com a pesquisadora, é possível que o cigarro enfraqueça o sistema imunológico e dificulte o combate ao HPV.

Nenhum comentário:

Postar um comentário