sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Apple e Facebook congelam óvulos de suas funcionárias.

Apple e Facebook congelam óvulos de funcionárias. Por que isso não é bom para as mulheres?

Duas das maiores empresas de tecnologia do mundo resolveram dar um presente para suas funcionárias: vão pagar o congelamento dos seus óvulos. A primeira coisa que vêm à mente quando pensamos nessa novidade é que pode ser ótimo para mulheres que querem focar na carreira. Sim, é ótimo você poder trabalhar sem se preocupar se o relógio biológico está correndo contra você. Porém…

É, sempre tem um porém, claro! A legislação trabalhista nos Estados Unidos não se parece em nada com a brasileira. Lá, poucos estados oferecem licença maternidade remunerada e, por medo de perder seus empregos, poucas são as mulheres que usam todo seu tempo. No Brasil, por exemplo, essa licença é de seis meses e em países socialmente desenvolvidos, como Noruega ou Canadá, o período pode chegar à um ano.

Então, porque essas grandes empresas, em vez de se oferecerem para congelar óvulos, não criam regras próprias sobre esse momento tão importante na vida de uma mulher que sonha em ser mãe. Por que a mulher deve sempre escolher entre carreira ou maternidade, sendo que não são coisas excludentes?

Temos exemplos no mundo inteiro de mulheres que conseguem conciliar as duas áreas da vida e dividir o peso da criação dos filhos com o homem. E o segredo é esse: divisão. As únicas coisas que apenas a mulher pode fazer é gerar e amamentar, todas as outras podem ser divididas.

O que essas empresas estão dizendo é que querem sua força de trabalho e criativa focada 100% do tempo para eles. Mulheres solteiras e sem filhos trabalham até mais tarde, não precisam de horários flexíveis e abrem mão da vida pessoal com mais facilidade.

A desculpa que eles dão para vender essa ideia é médica: a vida reprodutiva da mulher começa a se complicar depois dos 38 anos. Só que da mesma maneira que seus óvulos não querem mais gerar um bebê, sua paciência e seus objetivos, muitas vezes, não casam mais com esse propósito. Além disso, para que um óvulo congelado seja utilizado, a mulher precisará pagar, sem ajuda da empresa, por sua fertilização e implantação.

Pode parecer ótimo, mas na verdade é só mais uma maneira de regrar a vida reprodutiva da mulher e a decisão sobre seu corpo. Lembra aquela empresa brasileira que fez uma planilha dizendo quando as funcionárias poderiam engravidar? É a mesma coisa, mas com a tecnologia dando uma embalagem mais moderna.

Nenhum comentário:

Postar um comentário