quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Morte de bebê engasgado enquanto pais dormiam é investigada em Pará de Minas, MG.

Morte de bebê engasgado enquanto pais dormiam é investigada em MG

Mãe contou que eles deitaram embriagados com a menina e dormiram.
Pais foram autuados por maus-tratos seguido de morte e negligência.

 
Anna Lúcia Silva  
Do G1
 
Pais foram autuados por maus-tratos (Foto: Polícia Civil/ Divulgação)Em depoimento, mãe afirmou que tinham bebido no domingo (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

A Polícia Civil de Pará de Minas investiga a morte de um bebê ocorrida na segunda-feira (15) em Papagaios. O delegado responsável pelo caso, Francis Diniz Guerra, contou ao G1 nessa quinta-feira (18) que trabalha com a hipótese de que a menina, de seis meses, foi esmagada e sufocada pelos pais, que estavam embriagados, enquanto dormiam. Eles foram presos e autuados por maus-tratos seguido de morte e negligência.
O delegado disse que tem 30 dias para concluir o inquérito que apontará a verdadeira causa da morte. A polícia informou que a criança foi levada pela mãe ao Pronto Atendimento de Papagaios, logo no início da manhã de segunda. Contudo, a menina estava morta há algum tempo, segundo relatos de enfermeiras à polícia. Nesse período, a Polícia Militar (PM) recebeu uma ligação anônima denunciando a família por maus-tratos.
"Foi quando providenciei a oitiva dos pais do bebê. Durante o depoimento, a mãe entrou em contradição várias vezes, mas em um determinado momento ela contou que passou o dia [domingo] bebendo com o marido na casa de uma vizinha e quando chegaram, embriagados, deitaram com a criança na cama. Por isso, a hipótese é que a menina foi esmagada durante a noite”, contou o delegado.
Na quarta-feira (17) o delegado ouviu as enfermeiras que atenderam a menina, vizinhos, entre outras pessoas que relataram os maus-tratos. "Durante essa apuração constatei que já havia denúncias no Conselho Tutelar contra a mãe, mas nada tinha confirmado ainda", contou Francis.
Durante a necropsia não foi constatado nenhum sinal de morte proposital, mas segundo o delegado um detalhe chamou atenção. "A criança não tinha nenhum alimento no estômago, o que comprova que ela não se alimentava há tempo. Questionada, a mãe disse que só dava leite à menina, mas o estômago estava vazio", disse.
As investigações ainda apontam que a criança tem bronquiolite, uma doença no pulmão que dificulta a respiração, mas o delegado afirmou que é mais um agravo que aponta esmagadura e sufocamento. "A criança já estava vulnerável, pois não se alimentava e não tomava medicamentos para amenizar os efeitos da doença", afirmou.
Os pais estão presos e foram autuados por maus-tratos seguido de morte e negligência. "O pai foi levado para a cadeia Pitangui e a mãe está no presídio Pio Canedo em Pará de Minas. É importante ressaltar que o pai foi autuado por ser conivente com a situação", justificou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário