quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Laboratório anuncia recall de Paracetamol e outros quatro medicamentos.

Laboratório anuncia recall de Paracetamol e outros quatro medicamentos

A farmacêutica Teuto vai recolher os lotes dos produtos que apresentaram erros e trocas de comprimidos nas embalagens

 

Paracetamol 500 mg, fabricado pelo laboratório Teuto
Paracetamol 500 mg, fabricado pelo laboratório Teuto (Reprodução/VEJA) 

 
O laboratório Teuto Brasileiro anunciou nesta segunda-feira o recall de cinco medicamentos, incluindo um lote do Paracetamol. A empresa assumiu a possibilidade de um objeto metálico semelhante a um parafuso ter sido encontrado no lugar do comprimido em uma das embalagens do analgésico, problema que foi denunciado por um cliente ao Procon.
Os outros medicamentos que tiveram lotes suspensos são o antifúngico Cetoconzol o antidepressivo Amitriptilina, o creme vaginal Nistatina e a Atorvastatina Cálcica, indicada para reduzir a taxa de colesterol.
Com exceção da Amitriptilina, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já havia anunciado a suspensão de lotes desses medicamentos diante da denúncia de clientes sobre troca de comprimidos e erros nas embalagens. Na época, o laboratório informou que faria o recolhimento dos produtos voluntariamente.


Recall 


O recall do Paracetamol inclui o lote 1998101 do analgésico de 500 miligramas (mg), que abrange 15 141 medicamentos fabricados entre 11 e 12 de dezembro de 2013. 
Já o do Cetoconzol 200 mg vale para o lote 1048105, com 105 314 unidades fabricadas em 25 de junho de 2013. Segundo a empresa, alguns produtos podem ter sido embalados com comprimidos de Atenolol, indicado para controlar a pressão arterial.
No caso da Amitriptilina 25 mg, o recall inclui os 10 271 produtos do lote 8910019, fabricados em 14 e 15 de fevereiro de 2014. Algumas embalagens podem conter comprimidos de Metformina, medicamento usado para tratar diabetes.
O recall também vale para o lote 8910019 da Nistatina 25.000UI/G, que contém 13 993 unidades fabricadas em 14 e 15 de fevereiro. Segundo o laboratório, em algumas embalagens, houve troca do medicamento por outra droga, a neomicina+bacitracina.
Também foram comprometidos os produtos do lote 6909006 da Atorvastatina Cálcica 20 mg, que contém 4 822 produtos fabricados entre 17 e 21 de janeiro deste ano. Algumas unidades, que indicam concentração de 20 mg, podem trazer comprimidos de 10 mg.


Novas suspensões

Nesta segunda-feira, a Anvisa suspendeu a distribuição e comercialização de lotes de outros dois medicamentos do laboratório Teuto: o antibiótico Norfloxacino e o antidepressivo Cloridrato de Paroxetina. 
Segundo a agência, embalagens do lote 2946049 do Norfloxacino 400 miligramas (mg), com validade até novembro de 2015, continham comprimidos de um outro remédio, o Cloridrato de Paroxetina, que é um antidepressivo. Já produtos do lote 2444510 do Cloridrato de Amitriptilina 25 mg, válido até janeiro de 2016, apresentavam bolsões de ar entre os comprimidos, o que “compromete o isolamento do conteúdo da embalagem”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário