segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Incêndio que destruiu galpão de recicláveis em Santo Antônio do Monte, MG, pode ser criminoso.

Incêndio que destruiu galpão de recicláveis em MG pode ser criminoso

Civil e Meio Ambiente suspeitam do crime em Santo Antônio do Monte.
Frase 'Vai sair ou vou ter que queimar?!' estava pichada na parede do local.

 
Bárbara Almeida  
Do G1 
 
Incêndio em Santo Antônio do Monte (Foto: Lauro Alves da Silva/Arquivo Pessoal)Incêndio na Ascasam durou cerca de 12 horas
(Foto: Lauro Alves da Silva/Arquivo Pessoal)
 
Um incêndio atingiu a sede da Associação de Catadores de Materiais recicláveis de Santo Antônio do Monte (Ascasam) neste sábado (6). Segundo a Polícia Militar (PM), o fogo, que foi contido no domingo (7), atingiu toda a estrutura e um caminhão-pipa compareceu ao local para apagar as chamas. A Polícia Civil e a Secretaria de Meio Ambiente suspeitam que o incêndio foi criminoso.
O trabalho para conter o fogo durou cerca de 12 horas e as chamas só foram totalmente apagadas no domingo. Segundo o servidor da Secretaria de Meio Ambiente, Luiz Carlos Viterbo dos Santos, não havia ninguém trabalhando no momento do incêndio e que os prejuízos chegam a R$ 150 mil. "Perdemos todo o material reciclável e as máquinas que usamos para trabalhar. Além disso, o teto ficou destruído. Acreditamos que o incêndio tenha sido criminoso, pois em uma parede tinha pichações com os dizeres 'Vai sair ou vou ter que queimar?!', " comentou.

Incêndio em Santo Antônio do Monte (Foto: Lauro Alves da Silva/Arquivo Pessoal)Prejuízo do incêndio é calculado em R$1 50 mil
(Foto: Lauro Alves da Silva/Arquivo Pessoal)
 
De acordo com a Polícia Civil foi aberto um inquérito para analisar as causas do incêndio. "Há suspeitas de incêndio criminoso, mas precisamos investigar pois o local tinha materiais altamente inflamáveis o que facilita que as chamas se espalhem facilmente", explicou o delegado responsável pelo caso, Lucélio Silva.
O G1 entrou em contato com a Defesa Civil que informou que foram gastos mais de dez mil litros de água para apagar o fogo e que foi feita uma vistoria no imóvel onde foi constatado que o mesmo teve danos estruturais. "Vamos aguardar o laudo pericial para fazer uma análise final no imóvel. No entanto acreditamos que a estrutura metálica sofreu abalos", finalizou o coordenador da Defesa Civil, Luís Jesus da Silva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário