sexta-feira, 12 de setembro de 2014

100 smartphones são vendidos por minuto no Brasil.

Venda de smartphones passam de 13 milhões no Brasil no 2º trimestre

IDC aponta crescimento recorde de vendas, que aumentaram 22%.
Entre abril e junho, foram vendidos mais de 100 smartphones por minuto

 
Do G1

 
As vendas de smartphones no Brasil durante o segundo trimestre de 2014 somaram 13 milhões de aparelhos comercializados, um crescimento de 22% em relação ao mesmo período de 2013, número recorde, de acordo com estudo da International Data Corporation (IDC, empresa de consultoria) divulgado nesta sexta-feira (12). Entre abril e junho, foram vendidos mais de 100 smartphones por minuto. O valor diz respeito às vendas para o varejo, número que não corresponde à venda direta para o consumidor.
De acordo com o estudo, foram vendidos 17,9 milhões de aparelhos entre os meses de abril e junho, sendo 13,3 milhões de smartphones (75%) e 4.6 milhões de celulares (25%). Enquanto os smartphones crescem em vendas, os celulares (feature phones) tiveram queda de 16% no mesmo período do ano passado.
Dos aparelhos vendidos no 2º trimestre, mais de 90% rodam sistema operacional Android e o valor médio dos aparelhos ficou em R$ 700. O levantamento não leva em conta aparelhos comprados fora do país e os que são "imitações", vendidos em lojas não autorizadas.
Outra tendência que cresce no Brasil são dos aparelhos com telas maiores, os "phablets" (união das palavras "phone", de telefone, e tablet). Eles têm telas com tamanhos acima de 5 polegadas e a tendência é que eles vendam mais de 5 milhões de unidades em 2014. Para se ter uma ideia, foram vendidos 128 mil aparelhos em 2012 e cerca de 2,2 milhões em 2013.


Recorde de vendas

"O resultado do segundo trimestre para smartphones ficou acima da nossa previsão e representa um recorde de vendas não só no Brasil, mas no mundo inteiro. É a primeira vez que o país entra nesse patamar de 13 milhões e o mundo ultrapassa a marca de 300 milhões de smartphones vendidos. A expectativa é o bom momento persistir e um novo recorde ser batido nos próximos dois trimestres de 2014", afirma Leonardo Munin, analista de mercado da IDC Brasil, em comunicado enviado ao G1.

Os números mostram que mesmo com a instabilidade vista em outros segmentos de tecnologia e o baixo crescimento da economia brasileira não afetaram a categoria de smartphones. Para o analista da IDC Brasil, existem quatro fatores que explicam o momento: aumento do portfólio de produtos aliado à queda nos preços por parte dos fabricantes, um maior investimento dos canais em cima desta categoria – principalmente o varejista, a inclusão deste dispositivo na MP do Bem e a prorrogação da isenção de impostos para smartphones por parte do governo, e o fator principal que é o usuário com um desejo cada vez maior em estar conectado de onde ele estiver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário