quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Padre confessa prática de pedofilia após assediar adolescente em Formiga, MG.

Padre confessa prática de pedofilia após assediar adolescente em MG

Ele enviava mensagens pornográficas à vítima, diz delegada de Formiga.
Medida cautelar poderá impedir que o suspeito se aproxime do menino.

 
Bárbara Almeida  
Do G1
 
Um padre de 48 anos da cidade de Formiga confessou à Polícia Civil nesta quarta-feira (20) a prática de pedofilia. Segundo a polícia, ele já era investigado pelo crime após denúncias de que estava afastado das atividades por tentar se relacionar com um adolescente de 15 anos.
De acordo com a delegada do Juizado Especial e Proteção à Família, Luciana Sousa, a mãe do adolescente procurou a delegacia após o filho denunciar que o padre enviava mensagens pornográficas para ele via rede social e celular. "A mãe do garoto contou que o menino recebia mensagens do pároco pedindo fotos sem roupa, vídeos pornográficos e até para realizar sexo oral", informou a delegada. A delegada informou que foi aberto um inquérito.
Nesta quarta-feira foi cumprido um mandado de busca e apreensão na residência do pároco. "Recolhemos o celular e o notebook do suspeito, onde localizamos todas as conversas com o material pornográfico que ele mantinha com o adolescente. Durante o cumprimento do mandado, o investigado confessou o crime e só não foi preso por não haver, no momento, estado de flagrância", explicou Luciana.
Durante o depoimento, o padre disse ainda que pediu para se afastar da igreja em 2010 por sentir atração por homens.
O suspeito é funcionário da Prefeitura de Formiga. Ele trabalhava na biblioteca pública e também na quadra de esporte onde teria conhecido o adolescente. A Polícia Civil informou que o padre e o adolescente se conheciam porque jogavam futebol juntos. Agora, a delegada entrará com pedido de medida cautelar para impedir que o suspeito se aproxime da vítima. "O inquérito policial tem previsão de término dentro de 30 dias. Em depoimento o suspeito informou que não havia tentado assediar outros adolescentes, mas será investigada a existência de mais vítimas" ressaltou Luciana Sousa.
O G1 entrou em contato por telefone com a Diocese da Igreja Católica de Oliveira, porém o responsável para falar sobre o assunto não foi encontrado. Já a Prefeitura de Formiga informou à reportagem do MGTV que não vai se pronunciar sobre o caso até que seja comunicada oficialmente da denúncia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário