quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Mulher inventa próprio sequestro com ajuda de amigas em Divinópolis, MG.

Mulher inventa próprio sequestro com ajuda de amigas em Divinópolis

Amigas foram ouvidas pela Polícia Federal; suspeita será ouvida depois.
Elas podem responder por comunicação falsa de crime.

 
Do G1 
 
Carro da mulher foi encontrado no Centro da cidade
​(Foto: Reprodução/TV Integração)
mulher desaparecida carro abandonado Centro Divinópolis MG (Foto: Reprodução/TV Integração) Duas mulheres de 31 e 32 anos são ouvidas na Delegacia da Polícia Federal de Divinópolis na tarde desta quinta-feira (14), depois de supostamente terem ajudado uma amiga de 31 anos a forjar o próprio sequestro e desaparecimento. Esta última ainda não prestou depoimento, mas também deverá comparecer à delegacia e, se comprovada a fraude, as três podem responder por comunicação falsa de crime. 
O carro da suposta vítima foi encontrado nesta manhã na região Central da cidade sem as placas e com a chave na ignição. Policiais civis e federais acompanharam o trabalho da perícia no veículo. Objetos deixados no carro chamaram a atenção da polícia e, por meio do número do chassi, chegou-se ao nome da proprietária que estaria desaparecida desde a noite de quarta-feira (13).
Segundo a PM, a última vez que a mulher teria sido vista foi em um bar com as duas amigas. Na manhã de quinta a suposta vítima entrou em contato com a polícia e familiares. Ela foi encontrada em Marilândia, Distrito de Itapecerica. “Ela disse ter sido levada por dois suspeitos e deixada às margens da BR-494. Ainda disse que foi obrigada a ingerir uma bebida que ela não soube descrever o que seria e estava muito nervosa”, relatou o sargento Anderson Daniel Ferreira.
Mas durante a apuração do caso a polícia desconfiou da fraude. De acordo com a PM, as três simularam a ocorrência e retiraram as placas do carro. Depois elas conduziram a mulher de 31 anos até Marilândia. No carro de uma das amigas foi encontrada a bolsa da vítima, além de joias, cartão de crédito e documentos.
As amigas foram levadas até a delegacia da Polícia Federal. Já a mulher permaneceu em casa sob efeito de remédios. Nenhuma delas informou ainda o que as motivaram a criar toda a história. O delegado Daniel Souza Silva disse que as duas amigas já foram ouvidas e que serão liberadas nas próximas horas. “Ainda estamos ouvindo os envolvidos para entender toda a história e depois vamos apurar se elas serão indiciadas”, explicou.
Ainda segundo o delegado, a pena para o crime é de um a seis meses ou multa e pode ser revertido para a assinatura de um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

Nenhum comentário:

Postar um comentário