segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Menino de 10 anos com 2 metros de altura luta contra gigantismo em GO.

Menino de 10 anos com 2 metros de altura luta contra gigantismo em GO

Ele já não cabe no colchão e encosta a mão no teto de casa, em Novo Gama.
Mãe conta que o filho sofre com convulsões, dores de cabeça e no corpo.

Do G1 GO
 
Gabriel já não cabe mais na cama em que dorme em Luziânia, Goiás (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera) 
Gabriel já não cabe mais na cama em que dorme em Luziânia 
(Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)
 
 
O estudante Sérgio Gabriel Ribeiro Gomes tem 10 anos e mede 2 metros de altura. Por causa disso, o garoto tem dificuldades para encontrar uma posição confortável quando está na casa onde mora em Novo Gama, cidade goiana no Entorno do Distrito Federal. Além de ser maior do que o colchão em que dorme, ele já encosta a mão no teto do imóvel.
O garoto foi diagnosticado com gigantismo aos 5 anos de idade. A doença rara é causada pela produção exagerada do hormônio do crescimento, que está associada à presença de tumores benignos no cérebro.
Mãe do menino, a dona de casa Ricardene Barreira conta que a expectativa é de que o filho fique até com 2,7 metros de altura. Ela relata que Sérgio Gabriel reclama de dores constantemente. "De vez em quando tem convulsão, muita dor de cabeça, dor nas pernas”, diz.
Ricardene teme que o menino tenha problemas de convivência com outras crianças. Devido ao tamanho, Sérgio Gabriel gosta de atividades a sós: “Assisto DVD e gosto de ficar fazendo outras coisas dentro de casa. Eu queria uma bike”.
Desde que o menino foi diagnosticado com a enfermidade, a família dele buscava tratamento na rede pública de saúde para coibir o crescimento. Porém, a mãe só conseguiu uma terapia para o filho no último dia 5 de agosto, quando o garoto passou por uma consulta no Hospital Universitário de Brasília. Ele será atendido no local.

Gabriel já alcança o teto da casa em que mora em Luziânia, Goiás (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera) 
Gabriel alcança o teto da casa em que mora (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)

Nenhum comentário:

Postar um comentário