terça-feira, 19 de agosto de 2014

Japão desenvolve exame de sangue para detectar 13 tipos de câncer.

Japão desenvolve exame de sangue para detectar 13 tipos de câncer

Projeto tem custo estimado de 57 milhões de euros; prazo é de 5 anos.
Método ainda pode ajudar na detecção precoce de doenças degenerativas.

 
Da France Presse
 
Exame vai poder detectar 13 tipos de câncer
(Foto: Science Photo Library)
Descoberta pode levar a exame de sangue para detectar Alzheimer  (Foto: Science Photo Library) O Centro Nacional de Câncer do Japão espera concluir, no prazo de cinco anos, o desenvolvimento de um método que permita o diagnóstico precoce de 13 tipos de câncer mediante um simples exame de sangue.
O projeto, com custo estimado em 57 milhões de euros, visa contribuir especialmente com a detecção precoce do câncer de mama, estômago, esôfago, pulmão, fígado, vesícula, pâncreas, colo, ovário, próstata e bexiga.
O método também pode ajudar na detecção precoce de doenças degenerativas como o Mal de Alzheimer.
Trata-se de verificar a presença no sangue de micro-ácidos ribonucleicos (microARN), cujo aumento indicaria o desenvolvimento de um câncer. Mais de 2.500 variedades destas moléculas foram descobertas no corpo humano e podem servir de "marcadores" para detectar diferentes tipos de câncer, em um método muito mais rápido que a atual bateria de exames.
Várias equipes de pesquisadores da Europa e dos Estados Unidos já analisam o papel dos microARN nos casos de diversos tipos de câncer, mas os japoneses esperam chegar mais longe nas investigações, que ainda não permitiram elaborar um teste comercial.
O programa é dirigido pela Organização Japonesa de Novas Energias e Tecnologias Industriais (Nedo), que apoia pesquisas em diversos âmbitos, com o apoio de várias empresas, entre elas Toray Industries e Toshiba, que têm grandes ambições na área médica.
O projeto é baseado em dados obtidos com 65 mil pacientes através do Centro Nacional do Câncer. "Se conseguirmos desenvolver o primeiro teste mundial de alta precisão no Japão, isto poderá aumentar em vários anos a esperança de vida das pessoas e contribuir para o desenvolvimento das indústrias japonesas", disse Tomomitsu Hotta, presidente do centro, citado pela agência Kyodo.
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o câncer matou 8,2 milhões de pessoas em 2012. Os mais letais são de pulmão, estômago, fígado, colo e mama.

Nenhum comentário:

Postar um comentário