quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Após uma semana, menino atacado por tigre recebe alta de hospital.

Após uma semana, menino atacado por tigre recebe alta de hospital

Alta ocorreu no fim da tarde desta quarta (6); ele teve um braço amputado.
Garoto deve voltar para São Paulo, onde mora com a mãe, nesta quinta (7).

 
Do G1 
 
Menino que foi atacado por tigre deixou o hospital
em Cascavel (Foto: Reprodução/RPC TV)
Menino que foi atacado por tigre deixou o hospital em Cascavel (Foto: Reprodução/RPC TV) O menino de 11 anos que foi atacado por um tigre no Zoológico de Cascavel, no oeste do Paraná, recebeu alta do hospital no fim da tarde desta quarta-feira (6). O garoto precisou ter o braço direito amputado na altura do ombro. Ele saiu por uma porta de serviço no fundo do hospital, longe da imprensa e de curiosos.

Segundo a mãe, que preferiu não se identificar, o menino está bem e deve voltar com ela para São Paulo, onde moram, já nesta quinta-feira (7).
 "Ele está se adaptando, mas está ótimo. A única preocupação que ele tinha era de sacrificarem o tigre, o que não vai acontecer", disse a mãe.

De acordo com o hospital, o menino foi avaliado por uma equipe de cinco médicos de diversas especialidades antes de receber alta. Os exames que poderiam ser feitos no Instituto Médico-Legal de Cascavel não serão mais realizados.


Tigre Hu voltou para a jaula na segunda (4), depois
de ficar isolado por cinco dias
(Foto: Prefeitura de Cascavel/ Divulgação)
Tigre Hu voltou para a jaula nesta segunda-feira (4), depois de ficar isolado por cinco dias (Foto: Prefeitura de Cascavel/ Divulgação) Conforme o diretor-clínico do HU, Sérgio Luiz Bader, o garoto precisou da aprovação de um psiquiatra para receber alta.
"Conversei com o pai, conversei com ele, achei que o 'guri' está em uma situação extremamente confortável e, lógico, que terá que se recuperar de todo esse trauma, mas a evolução clínica dele é muito satisfatória e também a parte da emocional dele acho que também está desenvolvendo de forma satisfatória", comentou Bader.
Os funcionários do zoológico também terão orientação psicológica. A intenção da prefeitura é de que esse apoio auxilie os trabalhadores que lidam com os animais a manter a relação de antes do incidente.
"Os tratadores têm uma proximidade com o animal, então houve uma comoção entre a equipe e viu-se a necessidade de ter essa conversa, esse acompanhamento para que eles se tranquilizem e a rotina volte ao normal”, diz a diretora de recursos humanos da prefeitura, Vanice Schenfert.
 

Visita
 
Nesta terça-feira (5), os dois socorristas do Corpo de Bombeiros, que prestaram atendimento ao menino, visitaram a criança. "A gente se abraçou, chorou junto, mas é um choro de alegria, de emoção da gente saber que ele está bem", conta Andrade.
Além da visita, que durou aproximadamente 15 minutos, o socorrista José Antonio de Andrade também entregou uma lembrança ao menino. “A minha intenção era incentivar ele a já trabalhar com a mão esquerda, eu dei a ambulância para ele dobrar e dei uma caneta, que ele prometeu que vai escrever com a mão esquerda para mostrar depois para mim”.
Na terça, o tigre voltou a ser exposto no zoológico. O animal ficou cinco dias isolado como medida preventiva por causa do incidente. Por parte da Polícia Civil, o delegado Denis Merino, que investiga o caso, ouviu o depoimento de quatro funcionários do zoológico também na terça-feira.
Até sexta-feira (8), devem prestar depoimento outros funcionários, além de testemunhas e do pai do garoto, Marcos do Camo Rocha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário