sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Antidepressivo e terapia, juntos, são o melhor tratamento contra depressão.

Antidepressivo e terapia, juntos, são o melhor tratamento contra depressão

Segundo estudo, paciente se recupera mais rapidamente e tem menor chance de recaída se submetido à abordagem combinada do que quando é apenas medicado

 

Depressão: Exceto em casos crônicos da doença, a melhor opção de tratamento é aquela que combina remédios e terapia cognitiva
 
Depressão: Exceto em casos crônicos da doença, a melhor opção de tratamento é aquela que combina remédios e terapia cognitiva (Thinkstock/VEJA) 

 
Os resultados de uma nova pesquisa reforçam que a melhor forma de combater a depressão é aliar antidepressivos com sessões de terapia cognitiva, em comparação com tratamentos baseados unicamente em medicamentos. Segundo o estudo, o método combinado é até 30% mais eficaz do que o uso isolado do remédio. 


CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Effect of Cognitive Therapy With Antidepressant Medications vs Antidepressants Alone on the Rate of Recovery in Major Depressive Disorder

Onde foi divulgada: Jama Psychiatry

Quem fez: Steven Hollon, Robert DeRubeis, Jan Fawcett, Jay D. Amsterdam, Richard Shelton, John Zajecka, Paula R. Young e Robert Gallop

Instituição: Univerdade Vanderbilt; Universidade da Pensilvânia; Universidade do Novo México; e Universidade Rush, todas nos Estados Unidos

Resultado: Pessoas com depressão, exceto as que têm quadro crônico da doença, se recuperam melhor quando são tratadas com a cominação de antidepressivos e terapia cognitiva em comparação com apenas antidepressivos.
 
 
O trabalho, feito nos Estados Unidos, foi publicado nesta quarta-feira no periódico Jama Psychiatry. Os pesquisadores avaliaram 452 adultos que apresentavam sintomas de depressão e que estavam sendo tratados apenas com antidepressivo ou então com uma combinação de medicamento e terapia cognitiva. Os especialistas acompanharam os pacientes até seis meses depois de eles deixarem de apresentar qualquer sintoma. 

Segundo os resultados, os participantes que receberam a terapia combinada se saíram melhor. Ou seja, recuperaram-se mais rapidamente e foram menos propensas a abandonar o tratamento ou a sofrer uma recaída após o fim da terapia. No entanto, o estudo indicou que o tratamento combinado não parece ser mais eficaz no caso de pacientes com depressão crônica.
“Os nossos resultados indicam que a terapia combinada pode fazer uma diferença maior do que imaginávamos em pacientes com depressão”, diz Steven Hollon, professor de psiquiatria da Universidade Vanderbilt, nos Estados Unidos, e coordenador do estudo. “Os antidepressivos atuam em uma determinada parte do cérebro, regulando a atividade da região onde as emoções são geradas. Já a terapia cognitiva pode trabalhar outra parte do cérebro, o córtex pré-frontal, aumentando o controle que um paciente tem sobre suas emoções.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário