quarta-feira, 23 de julho de 2014

Só 200 corpos chegaram a área sob controle de Kiev, diz perito.

Voo MH17: só 200 corpos foram transportados, diz perito

Ucrânia havia anunciado a recuperação de 282 corpos e 87 fragmentos, que podem ser das vítimas restantes, na área onde o avião foi abatido por um míssil 

 

Comboio que transportava os corpos recuperados do vôo abatido da Malaysia Airlines chega à cidade de Kharkiv, na Ucrânia

Comboio que transportava os corpos recuperados do vôo abatido da Malaysia Airlines chega à cidade de Kharkiv, na Ucrânia - Sergey Bobok/AFP


Só 200 corpos de passageiros do voo MH-17 da Malaysia Airlines foram transportados para uma área não controlada por separatistas pró-Rússia no leste da Ucrânia, afirmou nesta terça-feira um perito holandês. O número é significativamente mais baixo que o divulgado pelas autoridades ucranianas. A informação anterior indicava que 282 corpos e 87 fragmentos, possivelmente das dezesseis vítimas restantes, haviam sido recuperados na área em que o Boeing 777 foi abatido por um míssil, perto da fronteira com a Rússia, e levados de trem até a cidade de Carcóvia. No total, o avião transportava 298 pessoas, entre passageiros e tripulantes.
"Só tenho certeza de uma coisa: o número é 200", disse ao jornal The Washington Post Jan Ruinder, chefe da equipe internacional de peritos forenses que está analisando os corpos. "Nós precisamos achar os outros", acrescentou. Os peritos iniciaram um trabalho preliminar de identificação dos corpos, que devem ser levados de Carcóvia para a Holanda. A maioria das vítimas no avião, que decolou de Amsterdã, na Holanda, com destino a Kuala Lumpur, na Malásia, era de origem holandesa.

Peritos e observadores internacionais acusam os rebeldes pró-Rússia de impedir o acesso e não preservar o cenário da tragédia. Alguns disseram que várias partes da aeronave foram removidas e até mesmo cortadas em pedaços. A suspeita é que a ação seja uma tentativa de dificultar as investigações sobre o ataque. O Conselho de Segurança da ONU adotou uma resolução nesta segunda-feira pedindo acesso total à região e cobrando uma investigação aprofundada e transparente.
O trem que transportou os cadáveres chegou a Carcóvia nesta terça-feira após uma viagem de 17 horas – normalmente a rota é percorrida em 5 horas. Ali, segundo informam as agências de notícias que acompanharam a viagem, os corpos deverão ser desembarcados e levados para a Holanda em contêineres refrigerados. Na Holanda, os corpos serão analisados e identificados, para depois serem entregues às respectivas famílias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário