quinta-feira, 24 de julho de 2014

Primo de Bruno é ouvido em delegacia de Belo Horizonte e sabe onde Eliza foi enterrada.

Primo de Bruno é ouvido em delegacia de Belo Horizonte

Ele falou em rádio que sabe onde Eliza foi enterrada e quer mostrar local.
Segundo advogado, ele e Jorge Luiz Rosa foram a terreno na Grande BH.

 

Raquel Freitas Do G1 
 
Jorge Luiz Rosa, primo de Bruno, chega a delegacia em Belo Horizonte (Foto: Reprodução / TV Globo) 
Jorge Luiz Rosa, primo de Bruno, chega a delegacia em Belo Horizonte 
(Foto: Reprodução / TV Globo)


O primo do goleiro Bruno Fernandes Jorge Luiz Rosa foi levado na tarde desta quinta-feira (24) para o Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa em   Belo Horizonte, onde está sendo ouvido pela Polícia Civil. Rosa afirmou em entrevista a Rádio Tupi do RJ que o corpo de Eliza Samudio foi enterrado em um terreno perto do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.
O advogado Nélio Andrade, que acompanha o primo de Bruno na capital mineira, contou ao G1 que Rosa resolveu falar agora sobre o paradeiro do corpo de Eliza por um “drama de consciência” e que ele deseja poder dar um “enterro digno” para Eliza.
Andrade afirmou que ele e Rosa saíram do RJ às 5h desta quinta-feira acompanhado de policiais. O advogado afirmou que rodou cerca de duas horas na Região Metropolitana de Belo Horizonte para achar o lugar e achou. “Ele [Rosa] aponta [para o local] arrepia e chora”, disse. Depois disso, eles procuraram a uma companhia da Polícia Militar em Vespasiano.
“Rodamos. Quase passamos pelo local, quando ele disse: ‘para aqui, eu reconheço isso aqui’. Quando ele desceu, ele chorou, se emocionou, se arrepiou, e me mostrou o coqueiro. Exatamente o que ele descreveu na gravação da Rádio Tupi, é o que está no local”, disse o advogado.
Eliza foi morta em 2010. Bruno Fernandes foi condenado a 22 anos e 3 meses de prisão por ter tramado a morte da ex-amante para não pagar pensão alimentícia ao filho recém-nascido – hoje com quatro anos. Em junho, ele foi transferido para a Penitenciária de Segurança Máxima de Francisco Sá, no Norte de Minas Gerais.
Da Companhia da PM, em Vespasiano, Rosa foi levado para o Departamento de Investigações da Polícia Civil, na Região Noroeste de Belo Horizonte. O delegado Wagner Pinto não informou sobre a previsão de busca no local que Rosa diz que o corpo de Eliza foi enterrado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário