quarta-feira, 30 de julho de 2014

Mãe que matou e escondeu filho no sofá não demonstra remorso.

'Frieza dela chamou a atenção', diz delegado sobre mãe que matou filho e escondeu corpo no sofá

Davi Batista, da 9ª Delegacia de Homicídios de Ibirité, diz que acusada só demonstrou nervosismo ao perceber que poderia ser presa durante depoimento

 
Mariana Zylberkan
 
Menino Keven Gomes Sobral, de 2 anos, foi encontrado morto dentro de sofá em MG
 
Menino Keven Gomes Sobral, de 2 anos, foi encontrado morto dentro de sofá em MG 
  (Uarlen Valério/Estadão Conteúdo/VEJA) 
  
Foi a frieza com que a dona de casa Marília Cristiane Gomes, de 19 anos, relatou os momentos que antecederam a morte do próprio filho que levou o delegado da 9ª Delegacia de Homicídios de Ibirité (MG), Davi Batista, a desconfiar de sua participação no crime. Ela foi presa na segunda-feira após confessar ter matado o filho Keven Gomes Sobral, de 2 anos, e ocultado seu corpo dentro de um sofá na casa dos tios do menino, localizada no mesmo terreno onde morava. Marília foi indiciada por homicídio e ocultação de cadáver e está presa no Complexo Penitenciário Feminino Estevão Pinto, em Belo Horizonte.

Uarlen Valério
Estadão Conteúdo
Keven estava desaparecido
O delegado afirma que, durante o depoimento, a mãe só demonstrou nervosismo ao cair em contradição. E que em momento nenhum demonstrou remorso por ter matado a criança. "A frieza chamou a atenção porque a reação esperada de uma mãe é chorar bastante a morte de um filho, ainda mais sendo pequeno. Após a confissão, ela demonstrou muito medo de ser presa e de ser linchada pelos vizinhos", disse o delegado. 
Cláudio Ribeiro Sobral, de 31 anos, marido de Marília, também relatou a frieza da mulher diante do desaparecimento do filho, comunicado por ela à polícia na quinta-feira passada. Em depoimento, Sobral disse que a mulher preferiu navegar no Facebook enquanto ele tentava encontrar a criança desesperadamente. 
O corpo do menino Keven foi escondido na estrutura do sofá que ficava na casa do cunhado de Marília. Segundo a polícia, a causa da morte, ainda não confirmada, pode ser traumatismo craniano, já que a mãe relatou que Keven bateu a cabeça na parede depois de ter apanhado.
O crime começou a ser desvendado porque os tios do menino sentiram mau cheiro na casa e perceberam que o sofá tinha sido revirado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário