quinta-feira, 24 de julho de 2014

Atlético-MG vira jogo na prorrogação e vence a Recopa.

Atlético-MG vira jogo na prorrogação e vence a Recopa

Time do técnico Levir Culpi derrotou os argentinos do Lanús por 4 a 3

Jogadores do Atlético-MG levantam o troféu da Recopa após vitória sobre o Lanús
 
Jogadores do Atlético-MG levantam o troféu da Recopa após vitória sobre o Lanús  
(Paulo Fonseca)


O Atlético Mineiro comemora um ano do título da Libertadores nesta quinta-feira, 24 de julho. O torcedor, porém, não imaginava que o dia fosse começar de forma tão sofrida. Já no princípio da madrugada, no Mineirão, a equipe perdeu do Lanús no tempo normal, com um gol aos 48 minutos do segundo tempo, mas marcou duas vezes na prorrogação e virou o jogo para 4 a 3, resultado com o qual conquistou pela primeira vez o título da Recopa Sul-Americana.
A Recopa é o quarto título internacional do Atlético, que também venceu duas vezes a Copa Conmebol em 1992 e 1997. Agora, se quiser jogar novamente uma competição continental, precisa vencer a Copa do Brasil ou ficar entre os quatro primeiros do Brasileiro. 
De pênalti, Diego Tardelli marcou para o Atlético logo no início da partida e saiu aos 42 minutos do segundo tempo. Ovacionado, o jogador via o estádio se preparar para a festa com o placar em 2 a 2. Mas o improvável aconteceu e um terceiro gol argentino, marcado por Acosta, levou o jogo para a prorrogação, uma vez que o Atlético havia vencido por 1 a 0 na Argentina, quarta-feira passada. Diante de um Mineirão assustado, sem um apagado Ronaldinho, que fora substituído, nem Tardelli em campo, quem decidiu para os mineiros foi Luan, num cruzamento que desviou na zaga. Mesmo assim o gol foi marcado para ele. No segundo tempo, Ayala encobriu o próprio goleiro e, com um gol contra, definiu o jogo.


O jogo

A partida ainda era morna quando, aos 5 minutos, Leonardo Silva cabeceou na área e a bola bateu na mão de Carlos Araujo. Diego Tardelli conversou com Ronaldinho e pegou a bola para bater o pênalti. Ao deslocar Marchesín, fez 1 a 0 para o Atlético e fez seu 100º gol com a camisa do clube.
O Lanús estragou a festa em seguida. Aos 8 minutos, Ayala recebeu livre na área, dominou e bateu sem chances para Victor. Era o aviso dos argentinos de que o jogo só estava começando. Aos 25, Veláquez bateu falta na área, Victor se esticou todo para salvar depois de resvalo na bola no meio do caminho, mas Santiago Silva fez no rebote, marcando 2 a 1 para o Lanús.
O resultado levaria o jogo para a prorrogação, mas o Atlético tratou de empatar. Doze minutos depois, Marcos Rocha cruzou com perfeição e Maicosuel apareceu no primeiro pau para completar para o gol.
Na segunda etapa, o Atlético tentou manter o ritmo do primeiro tempo e matar o jogo. Com Ronaldinho apagado, Tardelli chamou a responsabilidade de armar o time e deixou o meia na cara do gol aos 6. Ronaldinho tirou de Marchesín, mas Braghieri salvou antes de bola chegar no gol. Aos poucos, o Lanús passou a dominar o jogo e ameaçar principalmente com Santiago Silva. Aos 17, ele foi desarmado por Marcos Rocha na hora do chute. Dois minutos depois, longo bate-rebate na área deixou o Atlético em perigo três vezes, mas Victor salvou.
O desafogo veio com Tardelli, o melhor em campo. O atacante quase fez o 101.º dele numa pancada de fora da área, mas Marchesín não deixou a bola entrar no ângulo. O técnico Levir Culpi, porém, não imaginava que o Lanús faria o terceiro. Já com 48 minutos passados, Rever deixou Santiago Silva cabecear, Victor pegou, e Emerson Conceição marcou bobeira, permitindo a Acosta marcar. O gol calou o Mineirão. Logo aos 3 minutos da prorrogação, porém, Réver mandou uma bola no travessão e acordou a torcida, que explodiu com o gol de Luan, aos 12. O atacante recebeu na ponta esquerda e tentou cruzar, sem ângulo para o chute. Mas bola bateu em Gómez e foi direto para o gol.
O Lanús lutou como deu, mas sucumbiu a si mesmo. Aos 6 minutos do segundo tempo, Ayala foi ajeitar de cabeça uma bola para o goleiro e não viu que Marchesín estava ao seu lado. Acabou encobrindo o companheiro e mandando direto para o gol. Só para não deixar sem emoção o final do jogo, Victor fez duas grandes defesas aos 14 minutos. Pouco antes, Acosta recebeu o vermelho e pegou o árbitro pelo colarinho. Mas nada que estragasse a enorme festa atleticana.

(Com Estadão Conteúdo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário