domingo, 29 de junho de 2014

Jovem diz que matou namorada a tiro ao posar para foto.

Jovem diz que matou namorada a tiro ao posar para foto no ES

Adolescente contou que manuseava arma do pai quando houve o disparo.
Garota de 17 anos foi baleada no peito, dentro de casa, em Vitória.

Do G1 *

 
Uma adolescente de 17 anos morreu após ser atingida por um tiro no peito, supostamente acidental, no bairro Jabour, em Vitória. O namorado da vítima, também de 17 anos, mostrava a arma do pai - que é cabo da Polícia Militar - quando houve o disparo. Khetilla da Silva Santos chegou a ser socorrida pelo namorado e levada para o hospital São Lucas, mas morreu assim que deu entrada na unidade. O incidente aconteceu na casa do adolescente, por volta das 19h30, de sábado (28). O casal estava junto há apenas 15 dias.

Amigos lamentam morte de jovem, em página na internet (Foto: Reprodução/ Facebook) 
Amigos lamentam morte de jovem, em página na internet (Foto: Reprodução/ Facebook)
 
 
Em depoimento à polícia, o jovem contou que o casal se programava para ir a um aniversário de um parente dele e, enquanto se arrumava, começaram a conversar sobre o sonho do jovem, que é se tornar um policial, assim como o pai. Nesse momento, o adolescente foi até um cômodo que fica do lado de fora da casa dele, abriu a mala onde o pai guardava a arma - uma pistola 380 de uso particular - e foi mostrar à namorada.

Creio que não foi acidente, foi irresponsabilidade"
Dorisvaldo Gomes dos Santos,
pai da jovem morta
 
Segundo o cabo da PM, de 42 anos, Khetilla pediu ao filho dele para os dois tirarem uma foto exibindo a arma. Quando o rapaz manuseava a pistola, a arma disparou atingindo a adolescente. De acordo com a polícia, o rapaz ainda teve o cuidado de tirar o carregador da pistola, porém, uma bala ainda ficou engatilhada na agulha da arma, que acabou disparando acidentalmente.
O casal estava na sala da casa. Pelas manchas de sangue e um buraco de bala encontrados no sofá, a polícia acredita que Khetilla estava sentada e o namorado em pé, mostrando a arma. Porém, essa informação não foi confirmada pelo jovem em depoimento.
Foi um tiro acidental. Quero pedir desculpas para a família"
Alexandre Oliveira Rodrigues,
pai do jovem suspeito
Ao notar que a namorada foi baleada, o rapaz pegou a vítima no colo e correu para a rua pedindo ajuda. Um vizinho dele ajudou a socorrer Khetilla e a levou até o hospital. “Na ponte da passagem, ela deu um suspiro muito forte, ele entrou em desespero e seguimos. No São Lucas, o atendimento foi rápido. Depois de um tempo, um médico disse que a jovem havia morrido. Acredito que foi um acidente. O menino é exemplar e está super traumatizado. Eles estavam sozinhos dentro de casa e ele me pediu socorro. Ele falava que havia perdido a vida dele”, contou o ceramista José Carlos Barbosa.


Casa onde aconteceu a fatalidade, em Jabour, Vitória (Foto: Reprodução/ TV Gazeta) 
Casa onde aconteceu a fatalidade, em Jabour, Vitória (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)


O pai do rapaz garante que a arma estava bem guardada. “Estava trabalhando e deixei a arma particular, em casa, guardada. Meu filho pegou e foi tirar uma foto com a namorada e aconteceu a fatalidade.  No perfil da namorada dele, no Facebook, tinha uma página de uma menina posava com uma arma. Então, eles resolveram imitar a cena da foto. Ainda não tive como falar com ele. Eles estavam namorando há pouco tempo. Foi um tiro acidental. Ele foi autuado por homicídio culposo e eu devo responder administrativamente pela arma”, disse o pai do jovem, o cabo Alexandre Oliveira Rodrigues. Por telefone, chorando, ele pediu desculpas para a família da menina.
Pai da jovem morta, o operador de máquinas Dorisvaldo Gomes dos Santos (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)Pai da jovem morta, Dorisvaldo Gomes dos Santos (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
 
Mas para o pai que vai ter de enterrar a filha, faltou responsabilidade. “Creio que não foi acidente, foi irresponsabilidade, principalmente, do pai. Ele não poderia deixar uma arma dentro de casa tão fácil para o filho. Estou muito abalado, não consigo mais falar, não estou acreditando”, disse o pai da jovem morta, o operador de máquinas Dorisvaldo Gomes dos Santos.
O jovem foi levado para a 1ª Delegacia Regional de Vitória, onde foi autuado em flagrante por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) e até o fechamento desta edição permanecia detido no local.
* Com colaboração de Daniela Carla, da TV Gazeta, e Mayra Bandeira, do jornal A Gazeta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário