terça-feira, 13 de maio de 2014

Seminário abre semana de combate ao abuso de crianças em Divinópolis, MG.

Seminário abre semana de combate ao abuso de crianças em Divinópolis

Diretores da rede pública acompanharam o seminário nesta tarde.
Profissionais são aliados na luta contra a violência sexual de crianças.

Do G1 

Seminário foi voltado aos diretores das escolas
(Foto: Reprodução/TV Integração)
câmara municipal Divinópolis MG Semana Enfrentamento Abuso  Exploração Sexual Crianças Adolescentes (Foto: Reprodução/TV Integração) O seminário “O nosso olhar pode mudar vidas”, voltado aos diretores de escolas da rede pública de Divinópolis, abriu oficialmente a “Semana de Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e de Adolescentes” na tarde desta segunda-feira (12), na Câmara Municipal . O evento contou com a participação do Conselho Tutelar, secretarias municipais de Educação e Saúde, Centro de Referência Especializada em Assistência Social (Creas) e Promotoria de Justiça. Segundo o promotor da Vara de Infância e Juventude, Carlos Fortes, esses profissionais são aliados na luta contra a violência sexual de crianças e adolescentes. “Quando os abusos são registrados por pessoas da mesma família, quem tem condições de detectar os sinais dessa violência na criança e denunciar são os professores”, disse.
De acordo com a psicóloga Julia Myrela Machado, em alguns casos, é difícil identificar as marcas de um abuso, mas que muitas vezes a vítima dá alguns sinais. “A vítima começa a se envolver com jogos sexuais, apresenta uma fixação por órgãos sexuais e passa a contextualizar a fala de forma erotizada”, informou.
No Creas são feitas dez denúncias de abuso sexual por mês, em média. Segundo a coordenadora Ana Lúcia Freitas Amaral, esse número não significa que os casos tenham aumentado, mas sim as denúncias. “A informação está mais presente na vida do cidadão e ele tem buscado denunciar mais esse tipo de violência. Ele sabe que pode contar com o sigilo e cuidado dos profissionais”, acrescentou.
Após o seminário, a diretora Nívea da Silva Faria pretende reunir com os professores no enfrentamento à violência sexual. “Cada diretor vai marcar uma reunião na escola onde trabalha para repassar informações aos professores e aos pais, buscando promover a conscientização de todos. Os diretores pedirão, também, para que pais e professores fiquem atentos aos sinais que a criança demonstra caso seja uma vítima de abuso”, explicou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário