segunda-feira, 21 de abril de 2014

Sobreviventes de atentado voltam a correr a Maratona de Boston.

Sobreviventes de atentado voltam a correr a Maratona de Boston

Casal que perdeu uma perna cada voltou à corrida em bicicletas especiais.
Atentado em 2013 deixou três mortos e 264 feridos durante o evento.

Do G1

Patrick Downes e Jessica Kensky perderam uma perna cada no atentado da Maratona de Boston em 2013; neste ano, eles voltaram a participar da competição, mas agora sobre rodas (Foto: AP Photo/Elise Amendola) 
Patrick Downes e Jessica Kensky perderam uma perna cada no atentado da Maratona de Boston em 2013; neste ano, eles voltaram a participar da competição, mas agora sobre rodas 
(Foto: AP Photo/Elise Amendola)

A 118ª edição da Maratona de Boston, realizada nesta segunda-feira (21) na cidade norte-americana, teve o segundo maior número de participantes inscritos de sua história, e contou ainda com a participação de sobreviventes do atentado terrorista que atingiu a edição de 2013 do evento, há um ano, na cidade do estado de Massachusetts, no noroeste dos Estados Unidos. Mesmo com sequelas permanentes, como a perda de membros, as vítimas voltaram à pista de corrida para tentar cruzar a linha de chegada.
Patrick Downes e Jessica Kensky são dois dos sobreviventes do atentado, que deixou três mortos e 264 feridos em 15 de abril de 2013. Os dois perderam uma perna devido à explosão de duas bombas. Mas, nesta segunda-feira, Downes e Kensky voltaram a participar do evento esportivo, dessa vez sobre rodas, segundo a agência de notícias Associated Press.
Os dois chegaram à reta final da 118ª edição da Maratona de Boston em bicicletas horizontais, junto com outros participantes com necessidades especiais.
Celeste Corcoran, outra vítima do atentado, perdeu as duas pernas. Mesmo assim, ela conseguiu completar a corrida com a ajuda de familiares e de duas próteses, de acordo com a Reuters.

Um ano após o atentado

Cerca de 36 mil atletas correram a maratona nesta segunda-feira, o que representa o segundo maior número de competidores da história. Entre eles estavam atletas de ponta quenianos e etíopes.
Os corredores tiveram que lidar com novas restrições de segurança no evento. Milhares de competidores se reuniram em um parque no centro da cidade antes da corrida, preparando-se para entrar em um ônibus que os levaria à linha de partida da prova em Hopkinton, a oeste de Boston.
Mais de 3.500 policiais (o dobro do ano passado) e 60 agências de segurança do governo foram destacados para monitorar esta edição da corrida na cidade de Massachusetts (nordeste dos Estados Unidos).
Os organizadores definiram uma série de medidas para os participantes, incluindo uma política "sem mochila", em resposta ao fato de que foi em uma mochila que os autores dos ataques, os irmãos de origem chechena Tamerlan e Dzhokhar Tsarnaev, esconderam as panelas de pressão convertidas em bombas.

As autoridades dos Estados Unidos prestaram homenagem às vítimas na terça-feira passada, 15 de abril, data que os ataques completaram um ano.


Celeste Corcoran, vítima do atentado de Boston em 2013 quando perdeu as duas pernas, cruza a linha de chegada da maratona com ajuda de familiares nesta segunda (21) (Foto: Brian Snyder/Reuters) 
Celeste Corcoran, vítima do atentado de Boston em 2013 quando perdeu as duas pernas, cruza a linha de chegada da maratona com ajuda de familiares nesta segunda (21) 
(Foto: Brian Snyder/Reuters)

Jessica Kenski, que perdeu a perna no atentado da Maratona de Boston em 2013, foi aplaudida ao completar o evento deste ano em uma bicicleta (Foto: AP Photo/Mary Schwalm) 
Jessica Kenski, que perdeu a perna no atentado da Maratona de Boston em 2013, foi aplaudida ao completar o evento deste ano em uma bicicleta (Foto: AP Photo/Mary Schwalm)

Nenhum comentário:

Postar um comentário